Arrowverso Wiki
Advertisement
Para outros usos de "Kara", veja Kara (desambiguação).

Kara Fowdy (morta em 2018) foi a vice-diretora da Escola Garfield High e uma olheira para a A.S.A., reportando o surgimento de meta-humanos em Freeland para a organização.

Biografia[]

Olheira da A.S.A.[]

Kara compareceu a um evento beneficiente organizado pela Escola Garfield High. Ela tentou apresentar Jefferson Pierce a Lady Eve, mas ele precisou ir embora. Na manhã seguinte, Kara informou Jeff que o conselho queria instalar detectores de metais na escola. Ele discordou com a ideia e pediu para que repassasse sua mensagem ao restante do conselho.[1]

Alguns dias depois, Kara permaneceu ao lado de Jefferson quando ele tentou tranquilizar pais preocupados de que seus filhos estavam seguros na Garfield High. Mais tarde, ela cumprimentou Jefferson quando ele voltou ao trabalho.[2]

Depois que um aluno da Garfield High, Bernard Lewis, causou confusão por estar sob os efeitos da Luz Verde, Kara e Jefferson se reuniram com o garoto e seu pai. Kara comentou para Jefferson que o conselho nunca deixaria-o ficar na escola após o incidente. Jefferson pediu para que dissesse ao conselho que sua decisão era manter Lewis na escola. Kara relembrou Jefferson que seu papel era ser vice-diretora, e não sua secretária.

No dia seguinte, Jefferson e Kara se encontraram com Rose Lawson, parte do conselho, que recomendou que eles mudassem as regras para que o conselho tivesse a última fala a respeito de expulsões. Fowdy relembrou Jefferson que ele não poderia salvar todos os alunos. Mais tarde, Kara entregou o ultimato do conselho para Pierce: abrir mão de seu poder de decisão por ocorrências graves ou advogar em nome dos alunos, mas sua opinião permaneceria como um único voto somado ao de cada conselheiro.[3]

Enquanto monitorava publicações na internet para evitar cyber bullying, Kara encontrou uma publicação de Khalil Payne zombando de Jennifer Pierce. Ela mostrou as publicações para Jefferson e lhe ofereceu seu apoio. Mais tarde, ela assistiu a um noticiário reportando a morte de um estudante nas mãos de um nacionalista. Ela comentou para Anissa Pierce que era trágico que crimes de ódio ainda continuavam acontecendo.[4]

Em algum momento, Kara se tornou uma "olheira" da A.S.A. e informou a organização sobre os poderes meta-humanos de Neema Summers. Martin Proctor convocou a presença de Kara e, quando chegou, revelou que Jefferson era o Raio Negro. Ele exigiu que se livrasse dele, o que ela aceitou em fazer.[5]

Kara continuou vigiando os meta-humanos contidos em cápsulas. Mais tarde, ela entregou Luz Verde para Cayman e o Detetive Glennon. Eles plantaram a droga no carro e escritório de Jefferson, conseguindo acusá-lo de porte ilegal de drogas e o prenderam. Depois que o Raio Negro foi visto com Tormenta, Kara percebeu que Jefferson não era o Raio Negro. Ela entrou em contato com seus superiores para tentar soltá-lo.[6]

Morte[]

Três meses depois, Kara decidiu ir embora de Freeland. Depois de empacotar suas coisas e colocá-las em um carro, ela foi atacada por Syonide, que estava lá para levá-la para Tobias Whale. Kara se recusou a acompanhá-la e as duas se enfrentaram. Kara conseguiu vencer Syonide esfaqueando-a no pescoço. Ela foi até Peter Gambi e revelou sua identidade, mas lhe ofereceu uma troca: ela entregaria a maleta de Proctor desde que ele a tirasse da cidade. Gambi aceitou a oferta. Kara invadiu o apartamento de Tobias procurando pela maleta, mas acabou caindo em uma armadilha. Whale atacou Kara com um arpão, atingindo seu estômago, como vingança pela morte de Syonide. Apesar de seu machucado, Kara conseguiu escapar pulando pela janela.[7]

Kara conversando com Gambi

Kara conversando com Gambi.

Ferida, Kara conseguiu chegar até o apartamento de Gambi, desmaiando no lado de fora da residência. Gambi apareceu algum tempo depois e verificou os sinais vitais de Kara.[8] Gambi levou Kara ao Santuário, onde tentou curar seus ferimentos, mas não conseguiu por causa da perda de sangue e o desenvolvimento de sépsis. Quando Kara recuperou a consciência, ela implorou para que ajudasse-a. No entanto, Gambi disse que ela não tinha muito tempo e insistiu que revelasse a verdade. Acreditando que Gambi estava tentando enganá-la, Kara se recusou. Ele então entregou um remédio para sua dor.

Kara tentou escapar novamente, mas acabou perdendo as forças nas pernas e caiu. Ela, então, percebeu que realmente estava morrendo. Gambi apareceu algum tempo depois e tentou ajudá-la. Kara pediu para que fosse cremada ao invés de enterrada, e em seguida contou para Gambi que Tobias estava com a maleta de Proctor. Ela entregou seu telefone a Gambi e, segundos depois, morreu.[9]

Habilidades[]

  • Combatente corpo-a-corpo/Artista marcial: Como membro da A.S.A., Kara foi uma combatente desarmada extremamente habilidosa. Ela foi capaz de enfrentar Syonide, uma assassina mortal treinada, de igual-para-igual por algum tempo, e até mesmo conseguiu derrotá-la.
  • Enganação: Kara foi habilidosa na arte da enganação e mentira. Ela conseguiu trabalhar com Jefferson Pierce sem que sua lealdade para com a A.S.A. fosse descoberta.

Equipamento[]

  • Lâminas: Kara carregava um par de lâminas escondidas em seu salto.
  • Máscara de visão térmica: Kara usou uma máscara de visão térmica para enfrentar Tobias Whale.
  • Arma: Kara carregava algumas armas de fogo consigo, especificamente uma pistola.

Aparições[]

Raio Negro[]


Por de trás das câmeras[]

  • Kara Fowdy foi uma criação original para Raio Negro e não foi baseada em nenhuma personagem existente nos quadrinhos da DC Comics.

Referências[]

Advertisement