"Você é um monstro, mas isso não significa que eu também tenho que ser um."
—Lena Luthor para Lex Luthor[fonte]


Lena Kieran Luthor[1] (nascida em 1993)[2][3] é uma empresária bilionária, filantropista e a antiga proprietária da CatCo Mídia Mundial. Ela é a filha do falecido Lionel Luthor e de sua falecida amante, a filha adotiva afastada de Lillian Luthor, a meia-irmã mais jovem afastada de Lex Luthor, a ex-namorada do falecido Jack Spheer e James Olsen. Ela também é a melhor amiga de Kara Danvers, Samantha Arias e Andrea Rojas, e também uma boa amiga de Alex Danvers.

Após Lex ser preso, Lena assumiu a empresa de sua família e renomeou-a para L-Corp, trabalhando para limpar o nome Luthor devido aos atos maléficos feitos por seu irmão. Ela também começou uma amizade com Kara e Supergirl, sem saber que ambas eram a mesma pessoa, tornando-se uma aliada dos Superamigos em sua luta contra Lillian e o Projeto Cadmus. Depois de ser manipulada por Rhea e ajudá-la a fazer um exército Daxamita invadir National City, Lena trabalhou em uma aliança temporária com Lillian para fazer os alienígenas saírem do planeta. Durante isto, sua conexão com Kara/Supergirl tornou-se cada vez mais forte, pois ela continuava a apoiar e incentivar Lena a redimir o nome de sua família.

Ao descobrir sobre a personalidade alternativa de Sam, Régia, Lena começou a trabalhar em uma forma de libertar sua amiga da influência da Kryptoniana, forçando-a usar e revelar seu abastecimento de Kryptonita Verde. Isto colocou Lena e Supergirl em uma disputa, mas ambas deixaram suas diferenças de lado para salvar a Terra das Destruidoras de Mundos. Porém, Lena começou a desconfiar da Supergirl depois da mesma convencer James a invadir seu laboratório na procura de Kryptonita.

Secretamente, Lena começou a fazer experimentos com as propriedades médicas do Harun-El com a ajuda de Eve Teschmacher, até que esta traiu-a. Depois da fuga de Lex da prisão, Lena se uniu com os Superamigos e o D.O.E. para impedir seu meio-irmão e os Filhos da Liberdade. Lena acabou matando Lex, mas descobrindo através dele que Kara e a Supergirl são a mesma pessoa, fazendo com que Lena cortasse seus laços lentamente com sua antiga melhor amiga.

Desiludida com a humanidade após ser traída múltiplas vezes, Lena jurou "consertar" os erros dos humanos usando tecnologia, e também se vingando daqueles que a feriram. Ela teve a ajuda forçada de Eve, quando esta foi dominada por Hope. Depois de roubar Míriade da Fortaleza da Solidão, Lena alterou a programação para transformá-la em seu Projeto Non Nocere, onde ela iria reprogramar as emoções, mas isto foi impedido por Malefic J'onzz. Durante a Evacuação da Terra-38, Lena se aliou com os Superamigos mais uma vez e ajudou a construir um enorme portal que iria levar os habitantes da Terra-38 para a Terra-1.

Na Terra-Prime, Lena ainda estava com suas memórias de sua vida na Terra-38 graças a um acordo entre Lex e o Monitor. Apesar de seu ódio por Lex, ela começou a trabalhar com ele na Luthor Corp. Mesmo depois de uma visita de Kara na tentativa de lembrar Lena do que uma vez existiu entre elas e como ainda poderia ser, ela continuou trilhando um caminho escuro semelhante ao de sua família adotiva. Porém, as palavras de Kara fizeram-a repensar sobre suas ações e métodos recentes. Depois de perceber quem gostaria de ser, Lena se reconciliou com Kara e prometeu ajudá-la a impedir Lex e o Leviatã.

Biografia

Pré-Crise

Vida pregressa

Filha do bilionário Lionel Luthor e de uma mulher sem nome, quem Lionel estava tendo um caso com, Lena nasceu em Metrópolis no ano de 1993.[3]

Quando Lena tinha quatro anos de idade, ela e sua mãe foram até um lago em um dia nublado enquanto visitavam a família e decidiram dar um mergulho. Lena acabou optando por assistir sua mãe quando de repente ela testemunhou seu afogamento. Percebendo que algo estava errado, Lena congelou de terror, incapaz de fazer qualquer coisa. Após a morte de sua mãe, Lena foi devastada pela culpa por ter congelado, sentindo que sua inação matou sua mãe e acreditando que esta ainda estaria viva se ela tivesse tentado ativamente intervir, como nadar até sua mãe ou pedir ajuda.[4]

Depois desta tragédia, Lena foi adotada pela família Luthor.[2] Porém, apesar de ser amada por seu meio-irmão, Lex, que a fez sentir-se bem-vinda nesta família, e seu pai, Lionel, que era a filha favorita dele, Lena tinha dificuldades com sua mãe adotiva, Lillian, que nunca a considerou como uma "Luthor verdadeira" e sempre preferiu Lex do que ela.[5] Além disto, a verdade sobre a origem de Lena é desconhecida, e para ela é como se ela tivesse sido apenas adotada pela família, e não um fruto de um romance proibido.[2]

Na quinta série, o namorado de Lena foi roubado por uma de suas colega de classe, Cindy Ryan. Depois de meses de planejamento, ela vingou-se e expôs o diário pessoal de Cindy para toda a escola, humilhando-a e arruinando sua vida. Apesar de Lena se arrepender disto, Lillian esteve orgulhosa, vendo que isto era uma prova de que sua filha adotiva tinha os traços dos Luthors em seu sangue.[6] Em 2004, quando tinha 11 anos, Lena conheceu Andrea Rojas em um internato.[7] Durante este tempo, Lena também conheceu Veronica Sinclair, mas nunca se entendeu com ela.[8] Lena teve um namorado chamado Taylor, mas ele foi pago por Lillian para terminar com ela.[9]

Em sua juventude, Lena e seu meio-irmão foram bastante próximos, com Lex chamando-a de "A Princesa Perdida" em homenagem a Duquesa Anastasia Romanova.[10] Lena frequentemente tentava impressionar seu irmão com diversas invenções, mantendo-as escondidas até que pudesse mostrá-lo quando elas estivessem perfeita. Lena também se aproximou de uma das associadas de Lex, Mercy Graves, a quem Lex tinha um relacionamento. Mercy dava conselhos para Lena quando Lillian não fazia isto. Mercy ensinou etiquetas, moda e até mesmo como usar uma arma. Mercy até mesmo ajudava e encorajava Lena em seus atos científico, pois reconhecia sua inteligência.[11]

Lena se formou no MIT[12] e, durante este período em 2012, com 19 anos, ela conheceu e se tornou amiga de Jack Spheer. Os dois começaram a trabalhar juntos em diversos experimentos, na procura da cura do câncer e outras doenças usando nanotecnologia. Três anos depois, Lena e Jack se apaixonaram e começaram um relacionamento.[13]

Presumivelmente na época em que trabalhava com Jack, Lena também era uma advogada da LuthorCorp quando a empresa de sua família adquiriu os direitos da companhia que Samantha Arias trabalhava. Quando Lena chegou para ajudar a LuthorCorp a consumir tal companhia, ela encontrou Sam sozinha trabalhando às 3:00 da manhã. Impressionada com a diligência e concentração impecável de Samantha em seu trabalho, Lena pessoalmente optou por trabalhar com ela - levando Samantha a subir consideravelmente mais alto na hierarquia da empresa quando Lena assumiu. As duas mantiveram uma correspondência moderada, inicialmente profissional.[14]

Durante a vida adulta de Lena, Lex ficou frio, louco por poder e delirante. Quando ele começou a se tornar obcecado pelo Superman, ela ficou preocupada com o bem-estar de Lex e tentou ajudá-lo, mas ele a ignorou e continuou com seus planos para destruir o super-herói, resultando na morte de muitas pessoas.[2][15] As ações de Lex e a reação subsequente pioraram a auto-percebida existência de Lena como uma pária, já que ela já tinha que suportar muito de sua conexão com a controversa família Luthor. Assim, Lena desejava fortemente ser vista como uma indivídua separada e uma boa pessoa.[16] Quando Mercy deixou Lex devido ao seu foco pelo Superman, ela cortou sus laços com a família Luthor, deixando Lena sozinha e abandonada. Porém, Lena chegou a concordar de alguma forma com o desejo de Mercy de que os humanos alcançassem as capacidades sobre-humanas dos alienígenas para prevenir quaisquer guerras futuras.[11]

Lena descobrindo que Andrea roubou o Medalhão de Acrata.

Em 2014 Lena foi sequestrada por Lex quando ele transformou o sol amarelo da Terra em um sol vermelho a na tentativa de matar o Super-Homem. O plano falhou e Lex foi levado pela polícia.[17] Não muito tempo depois, ela foi até uma conferência em Londres onde encontrou Andrea usando o Medalhão de Acrata, o colar que sua mãe desejava encontrar e que Andrea roubou quando elas foram procurá-lo pessoalmente. Depois de descobrir isso, Lena encerrou sua amizade com Andrea. Dois meses depois, ela quis se mudar para National City para mostrar ser uma pessoa boa e tentar se desconectar da imagem que a família Luthor possuí, na tentativa de mudar o legado do sobrenome Luthor e trabalhar com a Kryptoniana que mora na cidade.[7]

Em 2016, depois que Lex foi condenado a 32 penas consecutivas de prisão perpétua, Lena cessou contato com sua mãe adotiva,[5] assumiu a LuthorCorp e se mudou a National City com o intuito de limpar o nome de sua família e também a ajudar os outros.[2] Seu relacionamento com Jack também chegou ao fim, apesar dele tentar fazê-la ficar em Metrópolis, mas ela não se deixou-se dissuadir e eles não se separaram em termos amigáveis.[13][7]

Transformando a LuthorCorp em L-Corp

"Depois que o Superman colocou o Lex na cadeia, decidi reaver a empresa da família e renomeá-la L-Corp, fazer dela uma força do bem. Só estou tentando criar um nome pra mim apesar da família. Consegue entender isso?"
—Lena Luthor para Clark Kent e Kara Danvers[fonte]


Lena sendo entrevistada por Kara e Clark.

Foi dada uma chance a Lena para que ela viajasse na espaço-nave Venture, mas teve que recusar o convite por uma reunião importante de último minuto sobre a renomeação da empresa de sua família. Depois que a espaço-nave explodiu, e consequentemente resgatada pela Supergirl e Superman, os repórteres Kara Danvers e Clark Kent foram a LuthorCorp para investigar Lena. Os primos usaram sua visão de raio-x para escanear o escritório de Lena enquanto ela explicava seus objetivos com a companhia de sua família, assim como sua não-presença no voo de inauguração da Venture. Lena sugeriu que o repórter do Planeta Diário suspeita que a tragédia do Venture tenha algo haver com ela e sua afiliação com a família Luthor ao invés de um problema técnico. Ela prossegue observando que presumiu que esse era o motivo principal de sua visita junto com Kara (que Lena inicialmente pensava ser uma advogada da CatCo). Com sua prima parada e um tanto nervosa ao seu lado, Clark apenas educadamente não negou, divertindo Lena com sua resposta.

Lena conversando com a Supergirl depois do ataque.

Ela reafirmou que não tinha nenhuma relação ou envolvimento com o incidente de Venture, pois queria começar uma vida distante de sua família, para o qual Lena tem muito trabalho árduo pela frente, dadas as profundidades de como o nome Luthor afundou por causa de seu irmão, e deu aos dois um pen-drive com informações sobre o oscilador destruído do Venture que uma subsidiária de sua empresa havia fabricado. Ela não sabia disso na época, mas as palavras que Lena disse aos primos, antes de entregar a eles os dados digitais armazenados, teria um efeito duradouro em Kara, influenciando-a a tomar uma grande decisão. Assim, desenvolvendo uma opinião elevada por Lena a partir de então. Mais tarde naquele dia, ela embarcou em um helicóptero. No entanto, antes que o helicóptero pudesse ir muito longe, dois drones apareceram, controlados pelo mercenário John Corben, e miraram em Lena. Supergirl e Superman interviram, impedindo Lena de ser baleada enquanto estava no ar. O Super-Homem partiu para procurar por mais drones, deixando a Supergirl derrubar outros dois que miravam no helicóptero de Lena, ajudando a pousar o helicóptero em segurança depois que ele havia sido atingido.

Lena na cerimônia de inauguração da renomeação da LuthorCorp.

No dia seguinte, na apresentação onde Lena revelaria a renomeação da LuthorCorp para L-Corp, Kara caminhou ao lado dela tentando convencê-la a desistir da cerimônia de renomeação. Lena não seria tão facilmente convencida, dizendo que não quer que a companhia de sua família seja relembrada com o desejo louco de seu irmão de destruir o Superman. Enquanto Lena faz seu discurso, um número de explosões acontecem, fazendo-a correr para sua segurança. Ela encontra um policial, mas descobriu que aquele era Corben, um assassino contratado por Lex para matá-la. Alex Danvers enfrentou-o em um combate, mas acabou sendo eventualmente superada pelo mercenário. Antes que ele pudesse escapar com Alex, Lena atirou nele por suas costas. No dia seguinte, Clark e Kara visitaram seu escritório e ela agradeceu pela matéria positiva do Planeta Diário quanto a L-Corp. Ela questionou o porque do nome de Kara não estar impresso ao lado de Clark. Ela recebeu uma resposta modesta de Kara, e Lena notou, desde seu primeiro encontro, que sabia que Kara tinha o senso de ser uma jornalista competente, e que esperava ver mais dela no futuro.[2]

Se tornando amiga de Kara Danvers

Lena conversando com Kara em seu escritório na L-Corp.

Quando Olivia Marsdin, a presidente dos Estados Unidos, veio à National City para assinar o decreto do Ato de Anistia Alienígena, Kara foi até Lena pois precisava de comentários dela devido ao ódio por alienígenas d seu irmão. Lena retirou um scanner de impressão digital de um cofre, dizendo que a L-Corp estava desenvolvendo uma capacidade de identificar alienígenas. Ela disse que o protótipo estaria aperfeiçoado e a produção seria feita a tempo para quando o Ato for oficializado. Lena usou o dispositivo em si mesmo, para demonstrar como funciona e ofereceu Danvers a testá-la. Tomando cuidado para não revelar sua natureza Kryptoniana, Kara começou a analisar o objeto, debatendo com Lena que o dispositivo iria expor alienígenas vivendo na população, e que o conceito por trás do Ato de Anistia Alienígena, que era a aceitação de raças inter-planetárias na humanidade, seria por nada. Lena genuinamente acredita que a população da Terra tem o direito de saber quem é um alienígena e quem não é. Mas, diferente de Lex, ela tendia lançar a tecnologia a público para a segurança e benefício da população. Quando Lena desviou o olhar, Kara usou sua visão de calor para sabotar o dispositivo e concordou em testá-lo. Quando recebeu um resultado negativo, ela ficou aliviada.

Mais tarde, quando Kara retornou à L-Corp, Lena elogiou calorosamente o artigo escrito por Danvers, mas admitiu que acreditava que Kara iria "misturá-la com a lama" devido a suas opiniões divergentes quanto ao estilo de vida alienígena na Terra. Kara confessou que teria escrito uma matéria neutra, mas seu editor desaprovou seu rascunho inicial e a fez reescrevê-la. Kara disse que estava grata por ter reescrito, pois eventos recentes fizeram-a reconsiderar sua posição quanto a sua opinião. Trazendo à tona seu passado com Lex, Lena observou que algumas pessoas são inerentemente más, mesmo que suas intenções não sejam óbvias a princípio.[15]

Lena e Kara conversando sobre Veronica.

Alguns dias depois, Kara foi ao escritório de Lena para perguntá-la onde Veronica Sinclair estaria hospedando seu próximo clube de luta alienígena. Vendo o desespero de Kara, Lena instruiu sua assistente a conceder acesso irrestrito para ela. Kara então informou a Lena que um “amigo” dela foi levado por pessoas que operavam fora da lei e, dadas as conexões familiares de Lena, ela era a melhor chance de Kara de encontrar essas pessoas a fim de montar um resgate. Lena adivinhou de imediato que as pessoas em questão estão ligadas a Veronica Sinclair, também conhecida como Roleta. Como Luthor, Lena foi convidada para o clube de luta de Sinclair, embora nunca se interessasse pelo tipo de "entretenimento" de Roleta. Lena deu o endereço a Kara, que agradeceu e diz que tem uma grande dívida com ela, ao que Lena respondeu que não, pois sabe que a ajudará quando chegar a hora.[8]

Lena "conhecendo" a Supergirl.

Mais tarde, Lena foi até a CatCo Mídia Mundial para convidar Kara a um baile de gala que o hospital da família Luthor focado para crianças iria fazer (já que ele havia sido danificado por um assalto que a Supergirl falhou em impedir), já que ela era a única amiga que Lena tinha em National City. Kara alegremente aceitou o convite, e Lena também conheceu o colega de trabalho de Kara, "Mike Matthews", que sugeriu que ele poderia ir com ela no evento. No dia seguinte, Lena foi ao apartamento de Kara, onde ela viu Alex conversar com Kara e descobriu que elas são irmãs adotivas. Ela pediu para que elas chamassem a Supergirl. À noite, a Supergirl, que na verdade era a própria Kara, chegou e Lena convidou ela para ir na mesma festa caso o evento fosse atacado.

Supergirl expressou sua desaprovação, pois o evento poderia ser um alvo para um roubo da gangue de Chet Miner, que estavam armados com armas extraterrestres. Notando a determinação de Lena, Supergirl questionou os motivos dela, com ela explicando aponta que a super-heroína de National City sai ativamente para ajudar os residentes da cidade e além, com pouco ou nenhum ganho pessoal para si mesma. Lena perguntou se era um fardo que apenas Supergirl foi autorizado a carregar por causa de quem ela é e o que suas habilidades permitem que ela seja. Ela questiona se, dada a história de Superman com seu irmão Lex, Supergirl estava entre aqueles que acreditam que não existia um "bom Luthor". Recebendo uma resposta louvável da heroína, Lena ficou exultante quando a Supergirl prometeu comparecer a sua festa de gala e observou ela voar de sua varanda.

Lena e Winn trabalhando juntos.

Na noite seguinte, Kara e Winn Schott (que trouxe consigo um dispositivo que iria alertá-los quando Miner e sua gangue se aproximassem) chegaram no evento de caridade. Kara conversou diversas vezes com Lena como Supergirl e sua identidade civil, usando sua super-velocidade para trocar de roupas para que Lena não pudesse ver as duas mulheres ao mesmo tempo. Algum tempo depois, a gangue de Chet chegou e começou um confronto com a Supergirl. No meio da batalha, Winn se escondeu embaixo de uma mesa, onde encontrou Lena trabalhando para ligar um gerador que ela havia plantado anteriormente. Juntos, Lena e Winn foram capazes de ligá-lo, emitindo uma onda de pulso que destruiu o armamento alienígena da gangue de Chet, conseguindo prendê-los em seguida. Depois, Supergirl agradeceu Lena por sua ajuda. Em algum momento, Lillian Luthor entrou no escritório de sua filha enquanto Kara saia. Lillian se desculpou por ter perdido a festa de sua filha, o que não chocou Lena.[18]

Vírus Medusa

"Escuta, você pode escrever o que achar melhor. Mas, a verdade é que, como filha, eu acho que fracassei. A gente nunca concordava em nada."
—Lena Luthor para Kara Danvers sobre sua mãe, Lillian Luthor[fonte]


Kara questionando Lena sobre Lillian.

Kara foi até a L-Corp para "entrevistar", quando, na verdade, estava lá procurando pistas a respeito de Lillian e do Projeto Cadmus, Lena sobre sua mãe. A jovem Luthor disse que elas não tinham um bom relacionamento e que geralmente discordavam de alguns assuntos. Porém, Lena notou que Kara estava tentando fazê-la vazar informações a respeito de Lillian. Ela se desculpou e disse que tinha uma reunião, fazendo com que Kara saísse do escritório. Depois que ela saiu, Lena ligou para sua mãe dizendo que precisavam conversar. Quando Lillian chegou, as duas trocaram "gentilezas", sobre o feriado e como sua família costumava ser mais aberta um para o outro quando Lionel e Lex ainda estavam com eles em suas vidas coletivas, e depois disso Lena disse que uma repórter estava investigando ela, e questionou-a se sua mãe escondia algo. Lillian tentou negar, mas Lena sabia que isto não era verdade.

Quando o Ciborgue Superman invadiu a L-Corp na tentativa de roubar uma substância sintética que o Projeto Cadmus precisava para lançar o vírus Medusa no ar, a Supergirl chegou e começou a enfrentá-lo. Quando Lena desceu para o meio da batalha, Henshaw notou a presença dela e arremessou um destroço da logotipo da empresa. A Supergirl conseguiu acobertá-la e pediu para que ela escapasse. Mais tarde, a Supergirl foi ao escritório de Lena, e ela agradeceu por ter salvo sua vida, e a heroína também revelou que sua mãe trabalhava para o Cadmus. Decepcionada, e também recusando-se a acreditar, Lena começou a acusar a super-heroína de que ela não é diferente das pessoas, que não confiam em alguém quando elas tem o sobrenome "Luthor". Antes de sair, a Supergirl disse para Lena que acreditava que ela é a melhor pessoa entre a família Luthor, dizendo que ela deveria ser sua própria heroína caso ela queira se distanciar de Lex e Lillian.

Mais tarde, Lena marcou outra reunião com sua mãe na L-Corp, confessando que sabia que ela estava por trás de Cadmus. Lillian não tentou se defender. Então, ela foi informada de que se ela quisesse a ajuda de Lena, tudo que Lillian tinha que fazer era pedir por ela. Lena deu a Lillian uma caixa contendo Isótopo 454, a substância fabricada exclusivamente pela L-Corp, que Cadmus precisava para lançar o vírus Medusa em um efeito de epidemia em toda a cidade. Lillian ficou surpresa com a disposição repentina e inesperada de Lena; Lena diz a ela que talvez fosse hora de Lillian conhecer melhor sua filha.

Lena traindo Lillian e fazendo-a ser presa pela polícia.

As duas foram até o porto de National City, onde pretendiam lançar o vírus em um foguete. Lillian, como um meio de testar a lealdade de sua filha a Cadmus, entregou a chave de ativação para Lena. Logo quando estava prestes a fazer isto, o Caçador de Marte e Supergirl chegaram para impedi-la. A Supergirl tentou convencê-la a não fazer isto, mas Lena aparentemente se conformou com seu legado familiar, dizendo que ela é "uma Luthor", e lançou o foguete. A Supergirl voou atrás do foguete enquanto o Caçador de Marte confrontou Lillian e Lena, e também lutou contra o Ciborgue Superman quando este interveio na apreensão da dupla de mãe e filha. Lillian fez o foguete explodir antes que a Supergirl pudesse fazer algo, espalhando o vírus por toda a cidade. Porém, nenhum dos alienígenas na cidade foram afetados. Lillian percebeu que Lena substituiu o isótopo pela substância que tornaria o vírus dormente. Lena confessou, e também revelou que havia chamado a polícia. Depois disto, Lena deu ao D.O.E. uma cura do vírus Medusa, que curou Jonn e impediu que ele se transformasse em um Marciano Branco.[5]

Ganhando a confiança de Kara

Quando Lena testemunhou contra sua mãe por suas ações como a líder do Cadmus, a mídia foi dividida, chamando seu testemunho de o discurso de uma criança desprezada ou a bravura de um herói. Kara visitou Lena e descobriu que Lillian está desesperada para ver sua filha, fazendo com que seus advogados entregasse-a uma mensagem doze vezes, mas Lena não quis ir. Ela então procurou conselho de Kara, que revelou o estado de seus pais biológicos (sem revelar que são alienígenas) e sugeriu que Lena fosse até a prisão, apesar das duas terem uma relação complicada, já que Lillian ainda era sua mãe independente de tudo e que Lena tinha sorte por tê-la em sua vida.

Lena conversando com Lillian na prisão.

Ouvindo o conselho de sua amiga, Lena foi até a prisão para se encontrar com Lillian, que revelou para ela que Lena é a filha ilegitima de Lionel, explicando que ele estava tendo um caso com a mãe de Lena e que a mulher havia sido paga para desaparecer. Porém, quatro anos depois, a cuidadora de Lena morreu e Lionel decidiu adotar sua filha de quatro anos. Nem Lionel ou Lillian revelaram para Lena ou Lex a verdade. A revelação logo surpreendeu Lena, o que Lillian usou como culpa para fazê-la apoiá-la. Lillian a disse que são as últimas Luthors que sobraram (sem contar o aprisionamento de Lex na Ilha Stryker), e as duas seguraram as mãos na mesa que as separaram. No dia seguinte, Metallo ajudou Lillian a escapar da prisão usando seus raios de Kryptonita. Todos culparam Lena por isto, já que ela foi a última pessoa a visitar Lillian na prisão.

Lena foi presa pelo Departamento de Polícia de National City, liderados pela Detetive Maggie Sawyer, pois eles haviam encontrado um vídeo de Lena pegando Kryptonita um dia antes da fuga de Lillian da prisão. Kara esteve lá e tentou ajudar Lena enquanto ela era algemada, mas Sawyer ignorou os pedidos de Danvers. Enquanto ela era levada, Maggie lia os direitos de Lena, que tentava negar seu envolvimento. Despida de seus privilégios e enviada para a prisão, o aprisionamento de Lena ganhou as manchetes, e o estigma de ser uma Luthor se intensificou com o povo, comentando como ela é igual ao seu irmão quando passaram por sua cela. A única isenta dessa crença é Kara, que confrontou seus amigos e irmã sobre sua falta de fé em uma mulher que nada fez além de ajudá-los, desconsiderando descaradamente o que qualquer evidência apresentada possa afirmar em contrário. Como o mais insistente na transgressão de Lena, James Olsen tentou encontrar provas de que ela era culpada. Ele descobriu que Metallo iria tirar Lena da prisão e James, como o Guardião, foi confrontá-lo. James acabou perdendo e Metallo conseguiu tirar Lena de sua cela. Lena, que chegou perto do limiar de sua cela em resposta à confusão entre Metallo e Guardião, só podendo olhar com medo para a chegada do ciborgue alimentado por kryptonita que ela mesma havia atirado por trás e deixado em estado crítico quando ele ainda era uma pessoa normal. Metallo, porém, apenas pediu desculpas pelo atraso.

Lena, Metallo e Lillian em um dos cofres de Lex.

Metallo levou Lena até Lillian, que disse para ela que ninguém iria acreditar nela já que ela havia "fugido" da custódia policial. Usando isto como vantagem, Lillian tentou manipular Lena e fazê-la entrar para Cadmus, dizendo que o público nunca iria permitir a redenção de um Luthor, e que os esforços de tentar provar-se inocente seriam fúteis. Lillian levou Lena para um lugar onde Lex mantinha suas armas guardadas em um cofre, que e que apenas alguém com o DNA da família Luthor poderia abrir (evidente pela fechadura biométrica, o que Lena reconheceu instantaneamente). Lena (enjoada) pensou que Lillian havia mantido uma amostra de sangue de Lex, o que sua mãe explicou que qualquer pessoa com os marcadores genéticos de Lex podia acessar seu cofre. Lena juntou as peças e descobriu que o plano nunca foi para fazê-las conversarem, mas sim levá-la para o cofre do Lex para que Lillian pudesse acessar o que tivesse dentro do cofre, já que seria mais fácil de fazer do que ir até Lex, que estava preso em uma prisão de segurança máxima. Lillian confirmou isto, mas também insiste, em relação a Lena e sua biometria, que nenhuma invalida necessariamente a outra ao continuar de onde Lex parou após sua prisão.

Lena se recusou e tentou escapar, querendo passar sua vida inteira na prisão do que ajudar sua mãe e Cadmus em sua vingança contra alienígenas, mas foi forçada a fazê-lo pelo verdadeiro Hank Henshaw, revelando que ele estava de cheio de armas anti-alienígenas altamente avançadas, orgânicas ou não; a maioria com a qual Lillian já estava intimamente familiarizada, maravilhada com o brilho e astúcia de seu filho por ter reunido uma coleção tão impressionante de armas para usar contra pessoas como o Superman. Lena disse que sua mãe é pior do que Lex, mas Lillian, que procurava por um item no arsenal de seu filho, disse que ela seria lembrada na história, assim como Lena caso ela decidisse se unir a ela. E de todos os itens do cofre, que Henshaw e Metallo estavam colocando em uma van, a atenção de Lillian foi para uma pequena caixa. Caminhando em direção do objeto, Lillian abriu-a e ficou maravilhada com o(s) conteúdo(s) presente lá dentro, dizendo que Lex finalmente a havia aperfeiçoada. Lena, disturbada, olhou o comportamento de sua mãe.

Depois de algum tempo, a Supergirl veio ao resgate - o que deixou Lena surpresa de que, de todas as pessoas, seria ela quem iria resgatá-la de sua mãe -, descendo pelo teto e dizendo que Kara Danvers pediu para que ela ajudasse. Lillian ativou uma das armas que ela pegou do cofre do Lex e arremessou-a para a Supergirl, que pegou o objeto. Ela logo percebeu que aquilo era um dispositivo que emitia ondas sônicas, que sobrecarregaria seu sistema auditivo Kryptoniano, imediatamente levando a heroína ao chão quando ativado. Incapacitada pelo barulho modificado, Lillian demandou que seu ciborgue prendesse-a no cofre. Lena tentou intervir, implorando para sua mãe para deixar ela em paz, mas apenas foi ignorada por ela, que dizia que ela tinha que pagar pelo que o Superman havia feito para Lex. A Supergirl tentou avisar que a Kryptonita sintética no peito de Metallo era volátil e que poderia explodir e matar a todos.

A Supergirl usou sua visão de calor no dispositivo de ondas sônicas, mas ainda teve grande dificuldades para enfrentar Metallo, que a atingia repetidamente com raios de Kryptonita, enfraquecendo-a suficiente para o ciborgue vencê-la em combate, fazendo-a ajoelhar-se no chão novamente. Com a ajuda inesperada do Caçador de Marte, a Supergirl escapou com Lena. No dia seguinte, Lena encheu o escritório de Kara com flores como agradecimento, não só por ter enviado a Supergirl para resgatá-la, mas como provar que o vídeo incriminatório era falso. Lena agradeceu Kara mais uma vez quando ela visitou-a, dizendo que a "Supergirl pode ter m salvado. Mas, Kara Danvers, você é minha heroína". Depois que Kara saiu, Lena pegou uma peça de um jogo de xadrez, o cavaleiro branco, relembrando-se do tempo em que derrotava Lex no jogo. Ela colocou a peça de volta no tabuleiro, refletindo e contemplando seu passado com sua suposta família adotiva em relação a como ela está agora no presente.[3]

Lena encontrando Kara na CatCo.

Um dia, Kara se esqueceu de que havia marcado um almoço com Lena e a encontrou na CatCo. Danvers pediu desculpas e expressou sua frustração por estar tentando conseguir um mandado de que Cadmus esteja sequestrando alienígenas depois da organização roubar o Registro Nacional de Alienígenas. Snapper Carr não iria publicar o artigo sem uma segunda fonte além da Supergirl, que não pode revelar a existência do D.O.E. por motivos de segurança. Vendo que Kara estava sobrecarregada, Lena sugeriu que ela criasse um blog para poder contar a notícia e ajudá-la a se espalhar. Ela também se voluntariou a verificar o histórico da companhia, já que sua mãe estava na empresa quando Lex era o CEO e que podem ter deixado um rastro.

Lena descobriu que uma instalação da LuthorCorp, que devia estar abandonada, estava sendo usada e que a companhia foi notificada para pagar a conta. Lena pediu para que sua assistente, que era uma espiã de Cadmus, procurasse o histórico da instalação. A assistente ligou para Lillian, que encarregou dois capangas de capturar Lena, que conversava com Kara através do telefone, em seu escritório. Quando eles estavam prestes a fazer isto, Lena acabou caindo da sacada, mas foi salva pela Supergirl. Lena informou a heroína de que os alienígenas sequestrados estão sendo mantidos lá.[19]

Descobrindo a verdade

Lena com o convite de Lex à Casa Branca.

Depois que Lex "preveniu" a invasão de Kaznia nos Estados Unidos, Lena e Brainy estavam em seu escritório na L-Corp vendo uma notícia que seu meio-irmão ajudou a National City ficar com energia elétrica novamente. Instantes depois, Kara e Alex entraram e Lena perguntou como a Supergirl estava, ficando aliviada por descobrir que ela estava viva depois de sua batalha contra a Filha Vermelha. Brainy recuperou o artigo que iria expor Lex escrito por Kara, e revelou que a Sonhadora e J'onn haviam sido capturados e levados para um local onde os alienígenas prisioneiros do D.O.E. estavam. A secretária de Lena entrou e lhe mostrou um convite de Lex, convocando-a para a Casa Branca. Apesar de Alex e Kara protestarem e disserem para ela não ir, Lena insistiu que iria para poder ajudar o artigo de Kara.

Lena rindo depois de Lillian dizer que havia envenenado o chá de Lex.

Lena aceitou o convite de Lex e foi a Casa Branca, onde também encontrou Lillian. Lex brincou que para três Luthors estarem na Casa Branca, isto era coisa que se veria "só na América". Lena brincou que Lex devia ter amarrado o Presidente e o aprisionou, mas Lex dispensou o comentário. Lena continuou brincando, dizendo que como o homem era uma marionete de seu irmão, ele poderia vendê-lo ao lado de Eve como um conjunto. Seu meio-irmão explicou que a família Luthor iria "revolucionar a energia", dizendo que os alienígenas capturados iriam servir como uma bateria viva. Lena disse que como Lex "matou" a Supergirl e assumiu o controle dos Estados Unidos, o Superman iria vir até ele logo que descobrisse o que aconteceu. Ela se chocou quando descobriu que Lex planejava destruir Argo, a cidade Kryptoniana onde ele estava, com a primeira leva de alienígenas. Depois que ele saiu, Lena confrontou sua mãe e a perguntou se ela "acreditava nisto". Lillian negou e disse que havia envenenado o chá de Lex, mas ele não parou de falar para tomá-lo.

Lena depois de nocautear Eve.

Lex retornou e ofereceu brindarem à destruição do Superman, revelando também que sabia que Lillian havia envenenado seu chá. Ele ofereceu uma taça de champanhe para Lena, mas ela recusou. Ela continuou dizendo que quando o povo da Terra descobrir o que ele planejava fazer, eles não iriam gostar. Lex dispensou o comentário de sua irmã e disse que eles nunca iriam descobrir. Quando ele estava prestes a disparar em Argo, o satélite Claymore falhou devido a um problema na Ilha Shelley. Lex foi até lá para resolver a situação pessoalmente, deixando Lena e Lillian vigiadas por Eve e alguns seguranças. Lena se levantou e Eve apontou uma arma para ela, Lena foi capaz de desarmá-la e nocauteá-la. Depois de Lillian nocautear os outros guardas, ela parabenizou Lena dizendo que aquela "é a minha garota" para ela.

Lena depois de descobrir que Kara é a Supergirl.

Depois de escapar da Casa Branca, Lena foi até um dos antigos esconderijos de Lex esperar por ele. Depois que ele fugiu de seu confronto com a Supergirl, Lena extraiu o Harun-El do corpo de seu meio-irmão. Lex se surpreendeu ao encontrar Lena lá, dizendo que havia deixado aquele mural em sua cela de prisão para que ela se relembrasse do lugar. Usando a arma roubada de Teschmacher, Lena apontou uma arma em Lex, que tinha certeza que ela não iria disparar nele. Lena provou que ele estava errado e disparou duas vezes no peito dele, o que chocou até o próprio Lex. Lena disse que havia feito isto pois o mundo não estaria salvo enquanto ele vivesse. Seu meio-irmão a parabenizou por ter tomado esta atitude, mas prosseguiu dizendo que ela era uma piada para todos. Ele então revelou para ela que Kara é a Supergirl, mostrando a ela diversas filmagens onde Danvers usava seus poderes sem com que Lena percebesse. Em seu último suspiro, ele disse que pelo menos morreria com dignidade.

Lena segurando um vinho.

Apesar da revelação chocante, que a deixou abalada emocionalmente, Lena continuou a sua amizade com Kara e os outros. Ela foi em uma noite de jogos com os Superamigos, levando um pouco de vinho pois não sabia o que trazer. No dia seguinte, Lena esteve bebendo e observando uma fotografia dela ao lado de Kara. Ela abaixou sua bebida, rachando o vidro que segurava a foto, indicando que sua amizade com Kara havia sido fraturada devido a revelação de sua "melhor amiga".[20]

Vingança contra Kara

"Eu confio na tecnologia, não em pessoas. Pessoas são movidos por sentimentos, tristeza, dor e raiva. Eu também sou culpada disso. É por isso que eu rodo essas simulações, pra me livrar das emoções. Mas, não sou uma vilã. Eu não quero matar a Supergirl. Eu só quero que ela sinta a mesma dor que ela me fez sentir. E logo ela vai."
—Lena Luthor para Hope[fonte]


Lena vendo um vídeo de Kara usando seus poderes.

Nos meses seguintes, depois de descobrir que Kara havia mentido para ela por anos, Lena começou a planejar sua vingança. Ela primeiro começou a se livrar de tudo que envolvia sua antiga melhor amiga. Ela vendeu a CatCo para Andrea Rojas por 1.2 bilhões de dólares, com a condição de que ela iria contar a novidade para todos, especialmente Kara. Em seguida ela construiu uma inteligência artificial chamada Hope, pois havia perdido sua confiança na humanidade depois de sentir-se traída por Kara. Ela usou uma realidade virtual para confrontar a Supergirl, com sua I.A. dizendo que as possibilidades daquilo acontecer eram altamente possíveis. Ela então prosseguiu dizendo que sua vingança contra a Supergirl não seria matá-la, mas apenas fazê-la sentir a mesma dor que ela sentiu depois de ser traída.

Kara dizendo para Lena que tinha que ir devido a uma emergência com sua "matéria".

Em seu escritório, Lena recebeu seis chamadas perdidas de James. Ela logo foi surpreendida pela visita de Kara, que disse estar lá porque Andrea Rojas estava dizendo que havia comprado a CatCo. Percebendo que sua amiga havia lhe dado a perna, Lena confirmou para Kara que ela havia mesmo vendido a companhia para ela. Ela explicou que havia vendido a empresa pois precisava de espaço para um novo projeto que trabalhava, dizendo que não teve como recusar a oferta de Rojas. Lena disse que foi uma "covarde" por não ter lhe dito a notícia antes, e disse que esperava que ela não havia feito Kara de boba por não ter dito algo, refletindo sobre ela esconder a identidade dela como uma super-heroína. Lena ofereceu para que almoçassem juntas, e Kara tentou contar uma coisa para ela, porém teve que sair devido a uma emergência com uma "matéria". Sabendo que era mentira, Lena se despediu dela.

Lena confrontando Andrea.

Depois de que Kara lhe disse que Andrea havia comprado a CatCo, Lena foi até a sede da Obsidiana do Norte, companhia na qual Rojas trabalha, para confrontá-la. Ela disse que gostaria que sua parceria desse certo, e que ela deveria manter segredo quando ela lhe pedisse algo. Enquanto saia, Lena prometeu que daria uma matéria exclusiva para ela, e que faria o site da CatCo bombar, contanto que ela mantivesse a identidade da fonte oculta. A matéria em si era uma exposição de Kara como Supergirl, algo que Lena estava planejando como parte de sua vingança.

Lena "descobrindo" que Kara é a Supergirl.

Na festa da premiação do prêmio Pulitzer, que Kara recebeu devido a sua matéria expondo Lex e o presidente Baker no ano passado, Lena estava ensaiando seu discurso quando Kara foi procurá-la, revelando que iria apresentá-la ao público. Enquanto dizia os motivos pelos quais deveria fazer o discurso, Kara revelou que era a Supergirl. Isto pegou Lena desprevenida, pois não sabia que Kara iria fazer isto. Ela ficou sem palavras e deixou Danvers para trás, caminhando em direção para apresentá-la ao prêmio. Enquanto fazia o discurso, Lena mudou de ideia e não enviou a matéria que iria expor a identidade da Supergirl para os servidores da CatCo. Quando Kara subiu ao palco, Lena a acalmou e disse que ela sempre seria amiga dela. De repente, Midnight apareceu para confrontar os Superamigos. Lena seguiu Kara e disse que era a hora da Supergirl. Ela então ficou admirada e olhou sua melhor amiga se transformar na super-heroína enquanto seu traje se materializava em seu corpo.

Lena segurando um relógio entregue por Kara.

Depois da premiação e do confronto com Midnight, a Supergirl visitou Lena em seu apartamento, agradecendo por ela ter ficado tranquila pelo segredo revelado. Lena disse que as coisas não poderiam ser iguais antes e que não deveria haver segredos entre elas, o que Kara concordou. Ela então entregou um relógio especial, que Lena poderia usá-lo para chamar a Supergirl. Depois que ela partiu, Hope perguntou se ela havia perdoado Kara. Lena disse que nunca iria perdoá-la, mas que iria usá-la para seu próprio benefício. Ela então voltou para a realidade artificial onde enfrentava a Supergirl.[21]

Lena conversando com Eve.

Lena estudou as lentes de realidade virtual da Obsidiana a noite inteira. Quando Hope disse que não poderia ferir alguém, pois havia programada para não fazê-lo, Lena disse que humanos e alienígenas mentem e fazem outras coisas por sua programação, e planejava "consertá-los" e remover o "extinto de machucar uns aos outros" com o Projeto Non Nocere. Lena disse que as lentes da Obsidiana lhe dá uma porta possível para isto, e quando achar a fonte certa poderia criar uma regra específica. Hope lhe notificou que a cobaia para um futuro teste havia acordado. Lena então foi cumprimentar uma confusa Eve Teschmacher, questionando-a como ela havia dormido. Quando Eve a perguntou o que estava fazendo lá, Lena disse que ela estava lá por tê-la traída. Quando questionada quem a obrigou a trair, e não era o Lex, Eve se recusou a responder, dizendo que "eles estão por toda parte" e fazendo Lena brincar que ela estava trabalhando com o bicho papão. Embora Eve insistisse que não gostaria de ter a traído e que foi forçada a fazer isto por "eles", Lena recusou-se a acreditar e pediu para que ela falasse a verdade.

Lena conversando com Hope.

Eve concordou com o que Lena havia feito, que ela havia gostado de fazer as coisas ruins que havia feito. Enquanto conversavam, as duas foram interrompidas pela chegada de Andrea. Lena rapidamente encobriu a cela onde Teschmacher estava pressa, surpresa pela chegada da mulher. Lena acabou sendo confrontada por Andrea, que sabia que ela havia roubado um par de lentes da Obsidiana e destruído o localizador contido nelas. Ela então pegou o par de lentes e levou-as embora. Quando Lena revelou a cela de Eve depois que Andrea foi embora, a prisioneira disse que poderia ter gritado e podia ter ido embora, mas não o fez, insistindo que ela poderia confiar nela. Depois que Lena perceber que o mapeamento cerebral de Eve havia sido concluído, ela concordou. Depois de algum tempo, Lena resolveu revelar tudo para Eve e a soltou da cela. A jovem Luthor apresentou-a a Hope, dizendo que elas iriam "trabalhar juntas". Teschmacher descobriu em choque sobre o mapeamento cerebral, e, em lágrimas, Lena deu o comando para Hope dominar o cérebro da mulher. Depois de algum tempo, Hope, agora no corpo de Eve, se apresentou a Lena. Ela disse que apesar de Andrea ter retirado suas lentes, ela mesma poderia construir algo semelhante a aquilo, dizendo que juntas iriam mudar a humanidade.[22]

Lena e Kara conversando sobre a CatCo.

Enquanto construía o Non Nocere, Lena ficou frustada com os diversos erros que apareciam ao longo do caminho. Hope sugeriu fazer uma alteração, mas Lena disse que isto que aquilo não funcionaria. Ela explicou o que as Ondas-Q iriam fazer, mas o transmissor roubado das lentes da Obsidiana apenas permitiram que ela lesse as informações do cérebro humano, e toda vez que tentava mudar algo acontecia um "efeito zumbi". Hope disse que poderiam usar os diários de Lex para ajudá-las em sua pesquisa, mas acrescentou que os objetos estavam em um local inacessível e seria impossível de pegá-los. Lena então recebeu uma mensagem de Kara, e disse a sua parceira que ela havia uma ideia de quem poderia ajudá-las. Depois de algum tempo, Kara retornou com algumas comidas de diversas partes do mundo para seu almoço com Lena. As duas conversaram sobre as mudanças que Andrea fazia na CatCo. Quando Kara perguntou como Lena estava, a jovem Luthor disse que não estava bem desde o que havia acontecido com o Lex. Lena então botou o diário em assunto, dizendo que lê-los iria ajudá-la a ficar bem. Kara ofereceu-se a pegá-los, pois, segundo Lena, seus advogados lhe disseram que iria levar algum tempo para conseguir chegar até eles. Lena então agradeceu Kara, que voou do apartamento de Lena para uma emergência envolvendo a Supergirl.

Lena recebendo os diários de Lex da Supergirl.

À noite, a Supergirl apareceu no apartamento de Lena com os diários de Lex. Lena questionou-a se elas estavam ultrapassando alguma linha, e se ela não estava abusando da vantagem de Kara ser a Supergirl. A super-heroína disse que não, e que não existe uma linha para uma amiga como ela. Lena foi ao seu laboratório e entregou os diários para Hope, que não havia encontrado nada científico, com Lena teorizando que seu irmão havia escondido tudo em uma forma secreta. Hope analisou um dos diários e encontrou uma forma de como controlar as mentes humanas com as Ondas-Q, com Lena dizendo que agora sabia o que tinha que fazer.[23]

Lena conversando com Malefic.

A pesquisa de Lena sobre as Ondas-Q foi interrompida quando Kara pediu a ajuda dela para que pudesse consertar o projetor da Zona Fantasma para que os Superamigos pudesse enviar Malefic J'onzz, irmão do Caçador de Marte, de volta para a Zona Fantasma, de onde ele havia misteriosamente saído.. Depois de testar a arma em J'onn, Lena ofereceu "conselhos amorosos" para Brainy quanto a seu relacionamento com Nia. Depois que Brainy saiu para pegar algo a pedido de Lena, ela modificou a arma. Depois que os Superamigos "enviaram" Malefic para a Zona Fantasma, a Supergirl foi até o laboratório para agradecer Lena, convidando-a para comemorar. Porém, ela educadamente recusou. Lena retornou para o prédio da L-Corp e foi diretamente a seu laboratório, onde encontrou um confuso Malefic, questionando a jovem Luthor onde estava. Lena disse que ele não poderia atravessar as paredes, e que eles poderiam trabalhar juntos.[24]

Lena e Hope testando Malefic.

Enquanto o Marciano estava adormecido, Lena forçou-o a se transformar em sua forma humana. Hope disse que estavam prontas para iniciar os testes com as Ondas-Q, dizendo que, caso conseguissem realizar seu objetivo, elas conseguiram tornar as pessoas dóceis, algo que muitas pessoas falharam. Quando Lena deu a ordem para Hope iniciar o teste, houve uma explosão e Malefic começou a dominar a mente de Eve. Depois do incidente, Lena colocou-o de volta em sua cela e começou a discutir com ele. Ela ofereceu que eles trabalhassem juntos, já que ambos haviam sido traídos pelas pessoas mais próximas que confiavam.

Lena fazendo uma proposta para Malefic.

Malefic disse que iria ajudá-la caso ela fosse capaz de remover a barreira que o impedia de matar J'onn. Lena se recusou, mas Malefic continuou a tentar convencê-la, já que seu cérebro e as Ondas-Q eram a chave para a realização do Projeto Non Nocere. Apesar disto, Lena aceitou com a condição que Malefic havia proposto. Lena explicou como as Ondas-Q funcionam para Malefic, mas as que ele usa para controlar a mente das pessoas é especial e diferente das outras ondas-Q, dizendo que queria isolar a frequência que o permitia controlar as mentes das pessoas. Ela então pediu para que ele usasse seus poderes em algumas cobaias para poder encontrar a frequência certa. Depois que Malefic acalmou um animal Maaldoriano, a frequência foi encontrada, o que surpreendeu Lena.

Lena usando as Ondas-Q para acalmar Malefic.

Depois de ter encontrado a frequência da Onda-Q perfeita, Malefic disse que estava pronto para matar J'onn já que Lena havia removido o bloqueio mental posto nele, e que o impedia de realizar tal ato. Porém, Lena revelou que não havia retirado o bloqueio mental, esclarecendo que não iria permiti-lo ferir outra pessoa. Quando Malefic partiu para atacá-la, Lena usou as Ondas-Q dos poderes do Marciano para controlá-lo e acalmá-lo, fazendo-o acreditar que amava ficar no laboratório da jovem Luthor.[25]

Lena ouvindo a história de Andrea.

Lena foi visitada por Andrea, que pediu para que levasse-a do D.O.E.. Lena fingiu não saber o que aquilo significava, mas Rojas sabia da verdade, e disse que iria dizer sobre as pessoas que quase destruíram National City com uma onda gigante. Andrea explicou que precisava invadir a organização para matar alguém antes que este indivíduo revele a existência das pessoas a qual ela trabalha. Lena disse que iria denunciá-la a diretora do D.O.E., mas Andrea revelou que quer protegê-lo, não matá-lo. Depois de revisitarem algumas memórias do passado, Andrea revelou que o Medalhão de Acratas tinha poderes mágicos. Depois de negar por um tempo, Lena acabou concordando em ajudar Andrea, dizendo que estava cansada das pessoas se machucarem.

Lena distraindo a Supergirl.

Lena e Andrea planejaram uma invasão no apartamento, e então a dupla bagunçou o local para que seu plano desse certo e fosse convincente. Ela também entregou um dispositivo carregados com as Ondas-Q de Malefic, que iria controlá-lo remotamente de seu apartamento, para que Andrea pudesse colocar o aparelho no D.O.E. e fazer com que os agentes na organização tornassem-se dóceis e proibidos de ferir alguém, permitindo que Andrea se infiltrasse facilmente. Lena chamou a Supergirl, pois a heroína estava no D.O.E. em custódia do indivíduo que Andrea estava atrás, para distraí-la. Depois que Kara chegou, Lena disse que havia sido atacada por uma "sombra". Apesar do plano ter inicialmente funcionado, Kara ouviu Alex gritar por socorro e voltou ao D.O.E. para ajudá-la. Lena tentou impedi-la, mas não foi rápida o bastante.

Lena descobrindo sobre Leviatã.

Quando Andrea voltou ao seu laboratório com Russell, Lena demandou que ela entregasse o Medalhão roubado a anos atrás. Quando Rojas recusou, Lena usou as Ondas-Q para fazer o homem pressionar um bisturi em seu pescoço. Depois que recebeu o artefato mágico, Lena fez Russell abaixar o bisturi e fez Andrea e o homem sair. Lena usou as lentes de realidade virtual da Obsidiana para rever uma memória entre ela e sua mãe, dizendo que finalmente havia encontrado o que tanto procuraram. Ela entregou o medalhão para Hope, que confirmou que a propriedade mágica do artefato havia desaparecido, e pediu para que ela traduzisse os símbolos presentes. Lena então pediu para que Hope investigasse as memórias de Eve Teschmacher na procura de algo relacionado a "Leviatã".[7]

Confrontando Kara
"Você vai tentar me matar?"
"Não. Eu não vou te matar, Supergirl. Eu não sou uma vilã, não devia ter me tratado como uma.
"
Supergirl e Lena Luthor[fonte]


Lena sendo confrontada por uma agente do Leviatã.

Enquanto lia um livro em seu apartamento, Lena percebeu que não estava sozinha e pediu para que o indivíduo se revelasse. Das sombras, uma mulher saiu carregando uma arma e demandou que ela entregasse o Medalhão, o que Lena recusou-se a fazer. Quando a mulher disparou, um campo de força protegeu a jovem Luthor do disparo. Ela sabia tudo sobre Leviatã, mas a mulher disse que ela não fazia ideia de nada. A mulher então de repente sumiu quando Lena acendeu as luzes. Hope apareceu e perguntou o motivo de Lena perturbar o Leviatã pelo medalhão, algo que não possuí nenhum valor. Porém, Lena disse que possuí um valor sentimental para ela e sua mãe. Lena então disse sobre a teoria de Lex de que o Superman guardava as maiores armas em uma "Fortaleza", algo que ela também acreditava, e que o dispositivo de distribuição do Projeto Non Nocere estava lá e que o Leviatã iria ajudá-la a chegar lá. Hope tentou convencê-la a cancelar um evento que ela faria, mas Lena recusou-se ao fazê-lo pois torcia que o Leviatã a atacasse, porque a Supergirl iria salvá-la.

Lena "descobrindo" sobre a Fortaleza da Solidão.

Na hora do evento, um terremoto misterioso aconteceu e um homem feito de pedras apareceu confrontando Lena, também demandando que ela devolvesse o medalhão. Lena fugiu dos ataques do homem e chamou a Supergirl com seu relógio especial. Quando pulou de um penhasco, Kara a salvou e levou-a para a segurança. No D.O.E., Brainy revelou que o homem responsável por atacar Lena é um alienígena também responsável por "acidentes" naturais a milhares de anos atrás. Lena disse que o Superman havia destruído todas as armas letais de Lex que eles poderiam usá-las contra o alienígena, mas Kara a corrigiu dizendo que seu primo as guardou na Fortaleza da Solidão. Kara então pediu para que Lena fosse com ela até a Fortaleza.

Lena e Supergirl na Fortaleza da Solidão.

Quando chegaram na Fortaleza da Solidão, localizada no Ártico, Lena ficou surpresa pelo local, enquanto Kara descrevia que aquilo era "Krypton na Terra". Enquanto andava pelo local, Lena foi presa em um gelo devido ao protocolo de segurança da Fortaleza, que estava programada para detectar qualquer pessoa com o DNA da família Luthor. Enquanto a contagem regressiva para aniquilação total da jovem Luthor começava, Kara tentou desesperadamente desativar o sistema de segurança. Com alguns segundos restantes, Kara foi capaz de fazer isto, e se desculpou com Lena pela atitude do Superman. Lena disse que as duas estão "muito longe" de serem iguais ao Superman e Lex.

Lena e Supergirl descobrindo sobre Jarhanpur.

Enquanto procuravam pelas armas de Lex, as duas conversaram sobre seu passado, com Lena dizendo que acreditava que ela estava protegendo a "amiga vulnerável" dela quando Kara poderia cuidar muito bem de si mesma sozinha, falando que Danvers era "uma boa atriz" por ter mentindo e atuado tão bem. Lena então encontrou um processador quântico e se surpreendeu. As duas então descobriram sobre o planeta Jarhanpur e sua história, e que algumas armas na Fortaleza conseguiriam feri-los. Lena disse que deveriam avisar Brainy e pediu para que pudesse usar o processador quântico para isto, e recebeu autorização de Kara para fazê-lo. Depois de alguns toques, Lena disse que havia "avisado" o DOE.

Lena fugindo com Miríade.

Enquanto estavam no arsenal, Lena encontrou Miríade e perguntou a Supergirl o que era, o que Kara explicou o que era e o que havia acontecido, dizendo que sua tia usou a arma para controlar as mentes das pessoas. Havendo encontrado o que procurava para o Projeto Non Nocere, Lena pegou um canhão sônico e disse que poderiam usá-la em Rama Khan. Porém, a Fortaleza foi atacada pelo Rama Khan em pessoa. Enquanto a Supergirl confrontava o homem, Lena ficou configurando a arma. Depois do fim da batalha, Lena largou sua atuação de boa moça e confrontou Kara sobre o que como realmente se sente. Em lágrimas, ela revelou que matou Lex e que sabia sobre a identidade de Kara como a Supergirl muito tempo antes de Danvers decidir revelar a verdade. Lena disse que pediu para Kara milhares de vezes para não traí-la e não magoá-la, e que sua amizade era uma farsa. Quando Kara questionou-a do motivo de continuar fingindo a amizade, Lena disse que queria que ela sentisse o que ela havia sentido. Depois de algum tempo de discussão, Kara foi presa em um gelo com Kryptonita, pois Lena havia modificado o sistema de segurança da Fortaleza para atacá-la. A jovem Luthor então fugiu do Ártico, carregando Miríade em sua mão e deixando sua antiga melhor amiga abandonada no gelo enquanto enfraquecia a cada instante.[26]

Lançando o Projeto Non Nocere
"Eu sou boa, e eu sempre fui. O Lex não me mudou, e você também não. Você só expôs pra mim a feiura da humanidade. Você me fez um favor, Kara. Descobrir o tipo de pessoa mentirosa que você é me inspirou a fazer isso."
—Lena Luthor para Kara Danvers[fonte]


Lena conversando com um holograma da Supergirl

Depois de roubar Miríade, Lena foi ao Monte Norquay e demandou que Hope ligasse o programa para que lançassem o Non Nocere em 1 hora, elogiando sua parceira pelo plano. Porém, a Supergirl foi até lá e as defesas de segurança implantadas por Lex se ativaram. Hope perguntou o que deveriam fazer, e Lena permitiu que a arma a atacasse. Quando a Supergirl não foi derrotada, a defesa automática do esconderijo carregou-se com Kryptonita. Lena conseguiu desarmar os canhões em último minuto, dizendo para Hope que não iriam matar ninguém, não importa o quanto elas as machuquem. Enquanto esperavam o carregamento das Ondas-Q, que iria fazer com que a violência no mundo acabasse, Lena foi surpreendida pela aparição da Supergirl, desta vez em forma holográfica, pedindo para que não fizesse o que planejava fazer. Lena tentou se defender sobre o que queria fazer, mas a Supergirl não quis saber, pois a Miríade traria risco para o mundo independente da intenção de Lena. A jovem Luthor não quis ouvir as palavras de sua antiga melhor amiga e encerrou a chamada holográfica de Kara, para que pudesse retomar ao Non Nocere.

Lena prestes a ativar Miríade

Depois que o carregamento foi concluído, Lena e Hope estiveram prontas para ativar o Non Nocere quando um erro ocorreu, o que fez as duas mulheres estranharem o ocorrido. Hope disse que aquilo era um vírus vindo do holograma de Kara, e que podiam destravar os satélites manualmente. Lena explicou que Lex havia espalhado armadilhas mortais pelo local, e que poderiam ser fatais, e então Hope se voluntariou a ligar manualmente, o que Lena foi contra e inventou outro modo de derrotar o vírus: duplicá-lo e descobrir como pará-lo. No meio tempo, o D.O.E. mandou diversas mensagens para o esconderijo, mas Lena pediu para que Hope apagasse-os. Quando um terremoto ocorreu, Lena cedeu e permitiu que Hope ligasse os satélites manualmente. Depois que Hope colocou os satélites na posição correta, Lena lançou Miríade, que carregava as Ondas-Q. Quando faltava alguns minutos para que as Ondas-Q chegassem à Terra, o DOE se aliou a Malefic para interceptar no plano de Lena. Eles frustaram o plano de Lena e conseguiram impedi-la, com ela dizendo para Hope que "às vezes, os bonzinhos não ganham".

"Eve" ameaçando Lena

Depois de seu plano falhar, Lena e Hope retornaram para o prédio da L-Corp em National City e foram até o laboratório. Prevendo que isto pudesse acontecer, Lena havia criado um plano B. Ela abriu uma pequena caixa e retirou um arma de lá. Enquanto Hope se desculpava por ter falhado, Lena entregou para ela a arma, dizendo que ela podia fazer uma última coisa por ela. Hope disse que entendia ao ouvir os agentes federais do FBI invadirem o laboratório. Hope, se passando por Eve, segurou Lena e ameaçou disparar contra ela, dizendo que foi ela quem havia feito tudo aquilo. Os policiais acreditaram que a jovem Luthor era inocente e conseguiram retirar a arma de "Eve", que sorriu para Lena enquanto era levada presa. Um policial perguntou a Lena se ela estava bem, o que ela afirmou que estava. Depois destes eventos, Lena voltou para seu apartamento e começou a beber enquanto olhava para um antiga fotografia dela ao lado de Kara, enquanto se relembrava de como as coisas eram entre as duas antes de deu desentendimento.[27]

Crise nas Terras Infinitas

"Eu não quero as suas desculpas, Alex. Porque você nunca mais vai ter a minha amizade ou confiança, eu aprendi a minha lição com todos em vocês. Mas, se o mundo está em perigo, então é claro que eu vou ajudar. Eu acho engraçado da sua parte pensar que eu não ajudaria, mas você deixou bem claro o quão pouco você pensava de mim. Então, o que quer que eu faça?"
—Lena Luthor para Alex Danvers[fonte]


Lena olhando para a torre quântica.

Em 10 de Dezembro de 2019, não muito tempo depois que seu plano havia falhado, os céus ao redor da Terra haviam tornado-se vermelhas e diversos terremotos aconteciam ao redor do globo. Lena esteve em seu escritório quando uma enorme torre surgiu no meio de National City e ela começou a olhá-la pela janela de sua sala na Luthor Corp. Alex entrou e Lena percebeu isto, questionando-a se a agente estava lá para "prendê-la durante o apocalipse" ou "matá-la já que falhou no outro dia". Alex negou ambas opções, dizendo que estava a impedindo de usar a programação da Miríade. Lena tentou dizer que era culpa de Eve, mas Alex sabia que aquilo não era verdade. Enquanto elas conversavam, outro terremoto atingiu a cidade e Alex explicou que o apocalipse estava mesmo acontecendo, explicando que uma onda de antimatéria iria destruir o universo caso a Supergirl e outros heróis não a impedissem. Alex disse que precisava da ajuda dela para realizar uma evacuação do planeta, e se desculpou com Lena por ter mentido, não só ela, mas assim como todos. Lena disse que não aceitava as desculpas de Alex, mas que iria ajudá-la a tentar a salvar o mundo.

Lena construindo um portal depois de explicar a Alex o que aconteceria caso falhasse.

Lena e Alex correram para o laboratório para construir um portal transdimensional e levar diversas naves alienígenas, abordo com extraterrestres e seres humanos, para a Terra-1, que seria o último universo a ser destruído, antes que a onda de antimatéria destruísse o planeta. Porém, durante a construção do aparelho, Lena havia encontrado um problema: caso fizesse algo de errado, as naves seriam desintegradas no instante que tentassem atravessar a brecha. Alex sugeriu usar uma variável inversa, especificamente a teoria de Gallion (que era reverter a decadência do beta para descobrir o quark presente). Quando Lena caminhava, ela não percebeu que destroços estavam caindo do teto e Alex puxou-a para trás, salvando-a. Lena a agradeceu e voltou para seu foco em construir o portal.

Lena ajudando na evacuação de National City.

Depois de algum tempo, Lena foi capaz de construir o portal. Ela agradeceu pela ideia de usar a teoria de Gallion, mas mesmo assim estava zangada com ela e que aquilo era apenas um trabalho em dupla, não o retorno de uma amizade. Depois de finalizar o portal, as duas saíram para as ruas de National City e ajudaram Kelly Olsen e a Sonhadora a levar as pessoas para as naves alienígenas. Devido a multidão correndo cegamente por todos os lados, Lena tentou pedir para que todos mantivessem a ordem, o que não funcionou. Enquanto os heróis da Terra-1, ao lado da Supergirl e Superman, enfrentavam um exército, Lena embarcou na nave da Legião e foi para a Terra-1.[28]

Apesar de sobreviver à destruição de seu universo, Lena, junto com todos os refugiados da Terra-38, foi morta quando uma onda de antimatéria atingiu a Terra-1.[29] Um mês depois, Lena foi ressuscitada quando os Paragons e o Espectro enfrentaram o Anti-Monitor no início dos tempos e recriaram um multiverso, formando uma nova Terra.[30][31]

Pós-Crise

"Nesse novo mundo, nós trabalhamos lado a lado na Luthor Corp e, também, no D.O.E., pra segurança do planeta."
"Então eu estou no Inferno.
"
Lex Luthor e Lena Luthor


Trabalhando com Lex

Lena ouvindo Lex dizer sobre a Crise.

Como um novo universo havia sido criado, a linha do tempo foi alterada. Na história da Terra-Prime, Lex estava vivo e Lena e ele trabalham lado-a-lado na Luthor Corp. Depois da festa da entrega do Prêmio Nobel, Lena dormiu na mansão de Lex.[32] Depois de acordar no prédio da empresa, ela encontrou Lex vivo e bem esperando por ela. Lena relembrou sobre o que havia acontecido com a onda de antimatéria e a destruição do universo, descobrindo que seu irmão havia feito uma barganha com um ser celestial. Lex disse que o Non Nocere estava destinado a falhar no momento em que ela roubou Miríade da Supergirl, e ofereceu seu auxílio. Lena disse que ele era uma marionete do Leviatã, mas Lex estranhou.[31] Lena riu e revelou que Eve havia o enganado. Quando questionada sobre o objetivo da organização, ela revelou que eles eram alienígenas responsáveis por algumas catástrofes naturais através dos anos.[32]

Lena conversando com a Supergirl.

Enquanto descobria mais sobre seu novo universo, Lena usou a internet para pesquisar mais informações sobre o que aconteceu na nova linha do tempo, como a Supergirl e ela se unindo para derrotar o Agente Liberdade. Alguns instantes depois, Lena foi visitada pela própria Supergirl em pessoa, que estava lá por acreditar que Lena não se lembrava dos eventos da Terra-38. Lena interrompeu Kara e revelou que sabia de tudo, incluindo o que ela havia feito. Embora Kara tentasse conversar com ela, oferecendo retornar a amizade e trabalharem juntas, Lena revelou que Lex havia feito a mesma proposta. Kara pediu para que Lena repensasse e tomasse a escolha com cuidado.

Lena conversando com Lillian.

Lena visitou sua mãe na Fundação Luthor, onde zombou de Lillian depois de vê-la usando um terno cor-de-rosa dizendo que não saberia se estaria viva para ver isto acontecer. Lillian tecnicamente disse que isso não aconteceu, e recapitulou eventos da Crise, surpreendendo Lena por ela saber destas coisas e chegando na conclusão de que Lex havia lhe dito aquilo. Lena ofereceu que trabalhassem juntas pra "consertar a natureza das pessoas", dizendo que falhou quando tentou fazer isto sozinha. Lena ofereceu fingir aceitar a oferta da Supergirl e ajudá-la, mas Lillian acabou teorizando que Lena iria enfraquecer e ser traída de novo.

Lena e Lex apertando as mãos.

Enquanto estudava negócios da Luthor Corp, Lena estranhou a presença de Lex em seu escritório quando ele deveria estar em uma premiação. Lex disse que queria compartilhar suas vitórias com ela, mas Lena disse que "um ato de generosidade depois de anos de traição" não contava. Lex prosseguiu dizendo que a morte havia lhe mudado, e que queria realmente formar uma parceria com sua irmã. Embora Lena recusasse a acreditar, Lex tentou convencê-la usando um caçador da verdade, que iria impedi-lo de mentir. Ela prosseguiu fazer algumas perguntas, o que Lex revelou toda verdade. Os dois então firmaram uma parceria para construir o Non Nocere.[31]

Lena e Lex começaram a trabalhar juntos, além de também filmar um comercial para o D.O.E. ao lado da Supergirl. Ela também descobre que Brainiac-5 também está trabalhando com Lex para descobrir mais sobre o Leviatã. Lena, afim de descobrir mais informações sobre o Leviatã e para receber mais informações sobre as Ondas-Q, se desculpa com Andrea pela forma que a tratou nos últimos dez anos, oferecendo auxílio com seus poderes e Leviatã. Porém, ela descobriu que eles nunca entraram em contato com ela, algo que aconteceu diferente na Terra-38.[33] Ela tentou manipular Andrea para que ela entregasse uma versão atualizada das lentes Obsidianas. Quando isso falhou, Lex ajudou-a e entrou em contato com a chefe de Andrea que, depois de discutir com ela, convenceu-a entregar um par de lentes para Lena.[34]

Quando viajou para Gotham, Lena foi vista por um repórter da CatCo Mídia Mundial, que escreveu um artigo sobre sua visita na Revista CatCo.[35] Em um lugar privado e seguro, Lena continuou a trabalhar no Projeto Non Nocere.[36]

Lena voltou a trabalhar no Non Nocere em seu laboratório, e testou seu projeto em um cachorro e uma criatura alienígena. Depois que os dois animais começaram a se entender e não se atacarem, Lex sugeriu que fizessem testes em humanos, oferecendo que suas cobaias pudessem ser prisioneiros. Na prisão, os prisioneiros agressivos começaram a ter a mesma reação positiva, criando um lugar tranquilo e pacífico para todos, com exceção de Steve Lomeli, que nunca foi alguém raivoso e passou por dor física quando Lena usou as Ondas-Q nele. Depois de alguns dias, ela conseguiu reverter o problema, pois ele nunca havia agredido ninguém, mas apenas sentia-se inseguro. Ele então a agradeceu por tê-lo ajudado.[37]

Reconciliação com Kara

"Eu cometi um erro terrível. Eu estava magoada. Estava tão magoada que... eu pensei que poderia me livrar da dor. Pensei que sabia tudo, que podia tornar o mundo num lugar melhor... mas, eu estava errada. E na minha dor, eu segui um caminho muito sombrio... onde, estava cega pra perceber o que estava fazendo... e no que eu me tornava. Você tinha razão. Nesse tempo todo eu virei uma vilã e... eu não estou pedindo pelo seu perdão, eu sei, sei o que eu fiz e o que eu disse, mas eu... espero que você confie o suficiente em mim pra acreditar que o Lex está trabalhando com o Leviatã, e eles vão usar a Obsidiana pra fazer uma coisa terrível, usando o sistema que eu criei pro meu projeto. Eu não sabia que estava ajudando eles, mas eu estava, e agora eu quero te ajudar. Nós temos que impedi-los. Então, por favor... eu quero ajudar a impedir o Lex e o Leviatã."
—Lena Luthor para Kara Danvers[fonte]


Lena e Lex estudando uma das cobaias do Non Nocere.

Lena e Lex foram chamados para a prisão, onde uma das cobaias do Projeto Non Nocere havia enlouquecido e atacado um dos outros presidiários. Seu meio-irmão sugeriu que, como a Supergirl esteve usando o Miríade anteriormente, poderia ter sido culpa dela. Lena disse que não era, mas Lex continuou e brincou que poderia entregar uma caixa de guloseimas recheadas com Kryptonita. Lena pediu para que Steve Lomelli fosse até a sala para verificar se o Non Nocere dele ainda era funcional, o que era, indicando que o prisioneiro que havia ficado zangado era apenas um acidente isolado. Lex então prometeu para Lena que iria consertar o paciente. Enquanto estudavam o motivo da falha do Non Nocere, as iris da cobaia haviam tornado-se completamente escuras. Lena explicou para Steve que aquilo era devido as Ondas Q e uma ruptura irregular. Ela deduziu que, devido a um apagão, a diretiva de não ferir ninguém do Non Nocere havia colidido com a vontade de sobreviver, deduzindo que estava em perigo e evoluindo para um estilo de sobrevivência.

Lena confrontando Lex.

Os irmãos e Steve perceberam que estava havendo uma briga com os prisioneiros com o Non Nocere em seu cérebro, e Lena deduziu que devido ao surto de Claus, o instinto de sobrevivência dos outros prisioneiros havia sido ativado e, com isto, criou um efeito dominó. Lena e Lex foram até o laboratório da prisão para poder reiniciar o Non Nocere, mas os prisioneiros se aglomeraram na porta e quase entrando. Lex distraiu-os enquanto Lena reiniciava as Ondas Q. Depois disto funcionar, Lena conversou com Lex, dizendo que seu plano havia falhado e que a dor era parte das emoções humanas, não podendo mudar nada. Seu irmão, contudo, tentou convencê-la de que a humanidade precisava ser controlada e que o Leviatã estava certo, e que a família Luthor eram as pessoas certas para controlar os seres humanos. Lena riu, dizendo que ele havia sabotado o Non Nocere para apenas sair-se bem. Lex se estressou e começou a gritar com ela, dizendo que não havia feito nada com o projeto e para que ela pudesse ver o "projeto falhar com seus próprios olhos".

Lena na porta do apartamento de Kara.

Depois de ser confrontada por Lex e dispensar a proposta de controlar a humanidade, Lena foi até o apartamento de Kara. Quando sua antiga melhor amiga abriu a porta e deixou-a entrar, Lena começou seu monólogo, dizendo que Danvers estava certa e que ela estava de fato se tornando uma vilã e que estava ficando no mesmo nível que Lex. Ela então revelou que seu irmão estava trabalhando com o Leviatã e pediu para que Kara deixasse-a ajudar a impedi-los. Embora Kara não tenha respondido Lena diretamente, a mulher puxou uma cadeira para que ela pudesse sentar.[38]

Lena e Kara saindo de um ônibus.

Enquanto falava o que sabia sobre Lex e Leviatã, o apartamento foi invadido pela chegada dos Superamigos e M'gann M'orzz, que haviam ido até lá por um pedido de ajuda de Kara. Ela acalmou seus amigos e explicou que Lena estava no lado deles e que iria ajudá-los a derrotar o Leviatã. Durante a conversa, eles descobriram que Rama Khan poderia encontrar a Supergirl quando ela usasse seus poderes, e que poderia atacá-la usando um arsenal de Kryptonita roubado do D.O.E. Lena, com suas memórias da Terra-38, se voluntariou para construir um traje Anti-Kryptonita para Kara. O problema era que a Supergirl não poderia ir até o prédio da Luthor Corp voando, então as duas tiveram que usar um ônibus para ir até lá enquanto M'gann e J'onn distraiam o Leviatã passando-se por Supergirl para ganharem tempo para Lena e Kara.

Lena e Kara descobrindo a localização de Eve.

Depois de entrarem no laboratório, Lena disse que iria levar algumas horas para que o traje ficasse pronto. Alex avisou que Rama Khan havia recrutado ajuda, e que J'onn havia sido ferido durante a batalha. Depois de descobrirem que Eve Teschmacher havia sequestrado William Dey, Lena tentou descriptografar o IP para tentar encontrá-la. Enquanto fazia isso, Lena tentou continuar a se desculpar com Kara, mas ela disse que "não quer falar do passado". Lena continuou a insistir, e Kara então disse o que sentia nos últimos meses, fazendo Lena chorar ouvindo o como Kara amava a amizade entre elas e que queria proteger ela por não lhe dizer sua identidade secreta. Depois de descobrirem a localização de Eve, Kara disse que iria até lá mesmo sem seu traje, e Lena disse que a acompanharia.

Lena e Supergirl vendo Rama Khan.

A Supergirl e Lena chegaram no galpão onde Eve estava com William, onde ela tinha atirado nele com uma arma. Enquanto Lena mantinha Eve sob a direção da arma, a Supergirl cauterizava a ferida de Dey com sua visão de calor. Quando ele tentou entrar em contato com Kara, Lena interveio e disse que ela estava bem e segura. Alguns instantes depois, Rama Khan e os outros Jarhanpurianos chegaram e a Supergirl começou a enfrentá-los. Lena usou um controle remoto para chamar o traje anti-Kryptonita de Supergirl até ela, o que permitiu que ela resistisse ao envenenamento. Lena então tirou Eve e William do local.

Lena abraçando Acrata.

Depois de Rama Khan e seus aliados fugirem da batalha, a Supergirl, Sonhadora e M'gann voltaram para o laboratório e explicaram o que havia ocorrido, revelando que eles são imortais. A Supergirl revelou que o plano de Leviatã é atacar o evento da paz em uma realidade virtual da Obsidiana Lena entregou um par de lentes para que Kara pudesse entrar no festival e protegê-la quando Gamemnae começasse seu plano de extinção da humanidade. Enquanto a Supergirl estava no festival, seu corpo físico estava exposto a qualquer perigo. O Leviatã enviou Acrata para matá-la, mas Lena percebeu a presença de Andrea no laboratório e conseguiu convencê-la a não matar ninguém.

Supergirl e Lena apertando as mãos.

Depois de conseguirem realizar seu plano, Lena e a Supergirl viram a contagem negativa de pessoas online na realidade virtual da Obsidiana, e Alex chegou dizendo que o Leviatã havia desaparecido. Depois de algum tempo, a Supergirl saiu para salvar a mãe de Eve, que estava em perigo, de Lex e da organização secreta, e levou-a para o laboratório. Lena e a Supergirl conversaram em particular, dizendo que entendia o motivo de Kara não ter dito sobre sua identidade secreta, e pediu desculpas novamente. Kara disse que talvez esteja pronta para aceitar as desculpas de Lena, o que a havia feito sorrir. Ela perguntou o que tinham de fazer agora, e Kara disse que faltava apenas uma única coisa: capturar Lex.[39]

Linhas do tempo alternativas

"Você espera que eu seja sua parceira depois disso? Depois de provar que eu não posso mesmo confiar em você?"
—Lena para a Supergirl em uma linha do tempo alternativa[fonte]


Lena conversando com Sam sobre Kara.

Em uma linha do tempo alternativa, Lena e Kara estavam almoçando juntas quando Kara disse que ela era a Supergirl. De repente, a L-Corp começou a ser atacada e a Supergirl saiu para resolver a situação. Enquanto Kara esteve fora, Lena foi até Metrópolis para ver Sam, onde revelou para ela que Kara é a Supergirl. Ela disse que quando criou Kryptonita para separá-la de Régia, a Supergirl ficou agindo friamente com ela enquanto Kara ainda era a mesma com ela, fazendo-a questionar-se se ela é uma vilã. De repente, os céus da Terra tornou-se verde. Lena percebeu que a atmosfera terrestre havia sido envenenada por Kryptonita e tentou voltar para National City para salvar Kara, mas não conseguiu chegar a tempo.[40]

Lena descobrindo que Kara é a Supergirl.

Em outra linha do tempo alternativo, Lena conversava com Supergirl no D.O.E. quando ela citou o que Lena havia dito a Kara, mas não para a Supergirl. A Supergirl então prosseguiu dizendo que ela é a Kara, o que entristeceu e enraivou Lena, dizendo que havia descoberto que Sam era uma vilã kryptoniana algumas semanas depois, pois acreditava que era a única que podia salvá-la. Ela continuou dizendo que ela devia ter confiado nela antes e ter dito o segredo antes, para que não pudesse enfrentar o perigo sozinha. Lena dispensou trabalhar junto de Kara quando ela ofereceu que se unissem, dizendo que não confiava mais nela. De repente, o sol foi coberto e Lena viu a Supergirl desmaiar.

Supergirl segurando o corpo de Lena.

Quando Régia esteve atacando a casa da mãe adotiva de Sam e prestes a matá-la, Lena usou uma arma para tentar forçar Sam para fora e recuperar seu corpo, o que aparentemente funcionou. Porém, enquanto ela comemorava e conversava com a Supergirl, Lena acabou sendo atingida pela visão de calor de Régia e caiu morta nos braços de Kara. Mon-El atacou-a com o mesmo dispositivo que Lena usou, e conseguiu matá-la, mas acabou morrendo durante isto também.[40]

Lena descobrindo que Kara é a Supergirl.

Em outra linha do tempo alternativa, logo depois de Lena chegar em National City, Kara revelou que ela era a Supergirl para ela. Lena se chocou, dizendo que não acreditava que um par de óculos a havia enganada e disse que iria refazer seu detector de alienígenas. Quando Kara perguntou-a se ela estava com raiva, Lena alegremente negou e a perguntou do motivo de estar revelando o segredo logo de início, quando mal se conhecem. Kara então disse que acredita que ela quer fazer o bem, e que um Super e um Luthor unidos podem mudar o mundo. Juntas, as duas conseguiram impedir diversas coisas, como impedir o lançamento do vírus Medusa, e Lena também criou um novo traje para ela depois que a Supergirl havia cortado seu cabelo.

Lena conversando com Ben Lockwood.

Em um julgamento contra Lillian, Lena negou-se a revelar a identidade da Supergirl, e também invocou a quinta emenda. Ela foi parada por Ben Lockwood, que a confrontou e demandou que ela revelasse a identidade da Supergirl depois de que a família deles pularam de um telhado acreditando que a Supergirl iria salvá-los, o que não aconteceu. Apesar de dar suas condolências, Lockwood começou a exigir que ela revelasse a identidade da Supergirl, o que Lena recusou. Quando ela recusou, Lena foi sequestrada por ele e Otis Graves. Ao lado de Thomas Coville, os dois foram aprisionados em uma cápsula por 1 hora, onde o oxigênio se esgotaria caso a Supergirl não se revelasse ao mundo. Kara seguiu as ordens de Lockwood e revelou sua identidade ao mundo, mas depois disto todos os seus amigos, incluindo Lena, foram mortos pelo Agente Liberdade e os Filhos da Liberdade.[40]

Lena em uma linha do tempo alternativa.

Quando Lena chegou a National City, ela foi atacada por drones de Lex em um helicóptero, a Supergirl não estava lá para salvá-la e ela acabou sofrendo um acidente. Sua mãe fez uma cirurgia e substituiu seu coração por Kryptonita, transformando-a em um ciborgue. Assim, ela desapareceu por 2 anos e quando voltou estava diferente. Ela matou Lex e se tornou uma ditadora em National City, destruindo metade da cidade quando enfrentou seu irmão. Ela também possuí dois executores, Régia e Brainiac-5. Ela construiu diversos robôs H.O.P.E. para proteger os habitantes da cidade, usando a energia da Quinta Dimensão para carregá-los.

Lena ameaçando a Supergirl.

Enquanto estava em sua base, localizada no prédio da CatCo, Lena foi confrontada pela Supergirl. Ela revelou o que havia acontecido com ela, questionando-a onde a Supergirl estava quando todas as coisas ruins haviam acontecido com ela. Ela usou seu coração movido a Kryptonita para atacar a Supergirl. Enquanto a Kryptoniana se contorcia de dor no chão, Lena começou a zombar dela. Quando Kara recusou-se a matá-la, Lena disse que ela ia "morrer gritando" e disparou uma rajada de Kryptonita nela, chegando ao ponto de quase matá-la.[40]

Poderes e habilidades

Poderes de uma linha temporal alternativa

  • Fisiologia de Ciborgue: Através de uma cirurgia feita em Lena por sua mãe, ela tornou-se uma humana com uma fisiologia cibernética, que a concedeu poderes e habilidades especiais.[40]
    • Raio de Kryptonita: Lena foi capaz de disparar um feixe de energia verde da radição de kryptonita, diretamente de seu coração. Uma explosão sustentada pode potencialmente matar um Kryptoniano. Esta explosão também pode incapacitar os humanos.[40]

Habilidades

  • Intelecto de gênio/Grande visão de negócios/Estratégia/Liderança: Lena é altamente inteligente, uma qualidade de marca reconhecida da família Luthor, capaz de muitas vezes vencer seu prodigioso meio-irmão mais velho no xadrez em sua juventude. Mais tarde, como adulta, sua inteligência - que lhe permitiu dominar de forma impressionante várias disciplinas acadêmicas e outras para seu próprio crédito - foi provada o suficiente para ser a CEO da L-Corp, supervisionando suas atividades diárias e vendo seu renascimento bem-sucedido como uma corporação multibilionária legitimamente legal, garantindo que permaneceria operacional até pelo menos quatro séculos mais tarde,[41] bem como refazê-lo e torná-lo uma força do bem,[2] e Rhea, a matriarca de uma civilização alienígena incrivelmente avançada, acabaria por tratar Lena como um exemplo notável da raça humana, não muito depois de conhecê-la.[42] Ela montou uma armadilha para a gangue criminosa de Chet Miner, com a Supergirl próxima para caso algo de errado acontecesse.[18] Lena também foi esperta o bastante para descobrir que Lillian Luthor estava fingindo uma aliança com ela apenas para usá-la quando lançar o vírus Medusa no ar, sendo capaz de substituir o vírus por outra coisa antes de tudo,[5] descobrir onde os alienígenas sequestrados de National City eram mantidos[19] e pensar em uma estratégia quando ela e a Supergirl enfrentaram Beth Breen e seu braço biônico, também sendo capaz de fazer Morgan Edge confessar ter tentado matá-la.[6] Ela também foi capaz de encontrar uma conexão entre Sam Arias e Régia, a alienígena vigilante que aterrorizava National City. Ela eventualmente descobriu que as duas são as mesma pessoa, embora Sam involuntariamente se transformava em Régia, sendo capaz de até mesmo ir tão longe como isolar[43] e conduzir experimentos (um tanto) humanos[44] em uma Sam confinada com o objetivo de discernir uma maneira de humanizar a alienígena, e isso abriu o caminho para o domínio de Lena para reproduzir artificialmente certas substâncias de natureza extraterrestre.[1][45] Em sua adolescência, Lena já era altamente versátil em nanotecnologia e nano-robótica, trabalhando junto com Jack Spheer enquanto criavam o Biomax.[13] Durante a fuga dela e de Mon-El guardas a bordo da nave Daxamita, Lena foi capaz de impressionar o príncipe alienígena contornando o sistema de segurança alienígena tecnologicamente avançado usando uma simples tiara dada a ela para seu casamento forçado como uma arrancada improvisada, praticamente deduzindo com um relance como o mecanismo funciona.[42] Lena demonstrou habilidades em negociações comerciais, e no gerenciamento dos interesses comerciais de nível corporativo da L-Corp, tendo assumido e deixado o comando da empresa, fundada por sua família, depois que os atos irredimíveis conduzidos por seu irmão deram a Lex seu sentença de vida. Ela provou ser bastante adaptável na supervisão dos procedimentos de negócios díspares e protocolos intrincados de despesas, receitas, estoque, recursos humanos, serviços públicos de sua empresa e assim por diante. Seu talento para escolher as pessoas certas, incluindo ela mesma, para o trabalho certo, e até mesmo motivá-los a dar o melhor de si, foi destacado em suas relações e interações com Sam Arias, que ela conhecia - desde o instante em que Lena a encontrou trabalhando pela primeira vez sozinha no escritório de uma empresa que a LutherCorp estava em processo de assimilar - seria um grande trunfo para a empresa de sua família.[14]
    • Biologia: Ao ver que Sam, embora momentaneamente, havia manifestado a personalidade de Régia em sua frente, Lena foi capaz de conectar os apagões de Sam com as vezes em que Régia apareceu para realizar suas atividades vigilantes. Lena levou Sam para um laboratório equipado com tudo necessário para diagnosticar a condição de Sam, na esperança de haver uma cura, ou um meio de suprimir, seu lado Régia. Lá, Lena foi capaz de examinar a natureza extraterrestre de Sam, que estava visível apenas quando Régia estava no controle.[44] Depois de obter o Harun-El, Lena mais tarde conseguiu livrar Samantha de Régia, embora ela não tenha percebido que o método usado para isso apenas separava as duas existências uma da outra, em vez de eliminar totalmente a persona de destruidora de mundos, como ela esperava, secretamente orquestrada por Selena[46] e logo depois de descobrir que Sam e Régia ainda estavam conectadas, Samantha estava enfraquecendo por conta de Régia drenar remotamente o poder de sua antiga hospedeira.[45] Desde a infância, Lena exibia uma capacidade estratégica promissora, evidente em como ela pôde dar xeque-mate em Lex em um jogo de xadrez, não muito depois de ele lhe ter ensinado o básico do jogo.[3] Quando adulta, ela manteve essa qualidade e a usou de forma eficaz - à luz da herança e renomeação de L-Corp de Lena - e poderia até mesmo empregá-la de forma combativa, já que ela foi a principal razão para a queda do esquema de Lillian de virar a opinião pública contra a Anistia Alienígena. Lena intervém depois de ver que até a Supergirl estava impotente para conter essa gangue de criminosos armados de forma incomum, visitando Kara Danvers, que Lena determinou com precisão que está em contato com a super-heroína kryptoniana e, em seguida, pedindo para que Danvers marcasse um encontro entre Lena e a heroína para que Lena pudesse convencê-la a participar de um evento de caridade que ela organizará, onde escondeu um gerador portátil destinado a desativar o armamento altamente avançado da gangue criminosa.[18]
    • Química: Lena tem grande aptidão na área de química. Por exemplo, ela foi capaz de criar uma versão sintética da kryptonita verde. Lena também foi capaz de criar uma kryptonita sintética extremamente estável, um feito que até Lex Luthor, Maxwell Lord e Lillian Luthor, respectivamente, não conseguiu; apesar de todos eles serem cientistas talentosos em seus próprios direitos.
    • Enganação/Manipulação: Apesar de, em última análise, ter uma bússola moral, Lena pode ser muito enganosa a ponto de os indivíduos - para o bem ou para o mal - presumir que ela sabe ou pretende menos do que Lena realmente faz, uma vez efetivamente convencendo Lillian de que ela estava do lado dela sobre sua cruzada para exterminar toda a vida alienígena no planeta Terra, apenas para revelar que ela estava armando para Lillian fazer com que fosse presa pelas autoridades. Ela conseguiu convencer Sam da existência de seu lado extraterrestre depois que Lena provocou repetidamente uma resposta violenta dela , ativando Régia e permitindo que ela obtenha as evidências de que precisa.[44] Ela fingiu não saber da existência do D.O.E. até o momento em que eles levaram-a até a organização para ajudá-los a lutar contra as Destruidoras de Mundo. Ela também soube enganar Kara, convencendo-a não saber de sua identidade como a Supergirl quando, na verdade, Lex havia lhe revelado tempos antes de Danvers decidir contá-la a verdade.
    • Pilotagem: Apesar de não ser muito fã transporte aéreo e, normalmente, preferir que alguém seja contratado para pilotar por ela ao viajar dessa maneira, Lena parece familiarizada com os meandros desse meio de transporte. Não apenas na pilotagem real, mas também em outras utilidades que podem ser encontradas em tal nave, como uma comunicação aérea móvel. Mais tarde, ela demonstrou instintivamente a capacidade de pilotar de forma eficaz uma nave alienígena altamente avançada do futuro, pela primeira vez, após assumir os controles da nave - impressionando Brainy com seu nível de intuição e concebendo agarrar para pilotar, mesmo que não seja veículos interestelares humanos e expansivos, como os da Legião, com pouca ou nenhuma ajuda auxiliar.
    • Especialista em computador/Hacker: Lena foi capaz de sobrecarregar o enxame de nanobôs de Biomax depois de acessar o mainframe da Indústrias Spheerical do laboratório de Jack, a tempo de salvar Kara de ser consumida pelo referido enxame. Isso sugere grande aptidão no campo da programação de computadores, possivelmente a par com Winn Schott e Felicity Smoak, tendo passado anos com Jack tentando aperfeiçoar os programas operacionais dos nanorrobôs para guiar suas funções e chegando bem perto de resolvê-lo juntos.
  • Combate corpo-a-corpo: Embora não seja experiente nisto, Lena tem certa aptidão para o combate corpo-a-corpo. Quando trocou golpes com Beth Breen, uma autoproclamada faixa preta, e foi resistente o suficiente para dar um dos chutes de Beth no estômago antes de se retaliar e derrubando Beth duas vezes. Porém, ela não é capaz de enfrentar combatentes no nível de Alex ou Mercy Graves. Lena mal foi capaz de se defender quando Mercy a confrontou na L-Corp, onde o combate apenas acabou devido a intervenção da Supergirl. Posteriormente, ficou implícito que Mercy pode ter treinado moderadamente Lena em combate corpo-a-corpo, o que explica sua vantagem monumental sobre a Luthor nesse aspecto. Mais tarde, as habilidades de combate de Lena (aparentemente) melhoraram, pois ela facilmente desarmou e deixou Eve inconsciente antes que ela pudesse atirar nela; no entanto, deve-se notar que ela simplesmente pegou Eve desprevenida.
    • Atiradora: Lena é bastante proficiente no uso de armas de fogo, de fabricação humana ou não. Ela usou a arma de Alen para atirar em John Corben[2] e uma arma Daxamita para nocautear um dos seguranças.[42]
    • Portadora de facas: Lena foi capaz de se defender de Eve por algum tempo usando um bastão de lâmina afiada.
  • Medicina: Apesar de nunca ser dito se ela possuí formação profissional, ou algum doutorado, Lena demonstrou desenvoltura satisfatória e conhecimento suficiente na área médica quando ela colocou Samantha em um monitoramento clandestino e em sua pesquisa exclusiva na busca para determinar suas suspeitas sobre a verdadeira natureza de Samantha e também para curar sua amiga disto.

Equipamento

  • Bastão de gume afiado: Lena carrega um bastão que se expande com uma lâmina e o mantém escondido em seu sapato.
  • Taser: Lena foi capaz de brevemente se libertar de dois agentes do Cadmus com um taser.[19] Em uma linha do tempo alternativa, ela inventou um taser que libera eletricidade suficiente para ferir até mesmo um kryptoniano aprimorado por magia negra, como Régia, e parece chocar a personalidade de Régia e até deixá-la adormecida.[40]
  • Revolver: Lena possuí uma licença para armas[46] e carrega um revólver de ponta curta.[16][20]
  • Relógio: Entregado para Lena por Kara Danvers, ela carrega um relógio especial que permite que ela chame a Supergirl em casos de emergência.[21]

Aparições

Supergirl

2ª Temporada

3ª Temporada

4ª Temporada

5ª Temporada


Arqueiro

7ª Temporada

8ª Temporada

Batwoman

1ª Temporada

Lendas do Amanhã

5ª Temporada

Flash

6ª Temporada

Curiosidades

Por de trás das cenas

  • Criada por Jerry Siegel e Kurt Schaffenberger, Lena Luthor apareceu pela primeira vez em Namorada do Superman, Lois Lane #23 (Fevereiro de 1961). Ela geralmente é vista como a irmã mais nova de Lex Luthor, e em algumas versões até mesmo uma irmã afastada ou adotiva, e também uma aliada da Família Superman, particularmente a Supergirl.
    • Não ser confundida com a personagem Lena Luthor II, que é a filha de Lex com sua oitava ou nona esposa e nomeada em homenagem a sua tia, a Lena original.
  • Esta versão de Lena em Supergirl marca a terceira vez em que ela apareceu em live-action na televisão. Suas versões anteriores são em Superboy e, mais notavelmente, em Smallville.
    • Em Smallville, a personagem foi inicialmente apresentada como Tess Mercer durante a oitava temporada. Sua identidade como Lutessa Lena Luthor foi revelada na décima temporada.
    • Esta versão de Lena Luthor foi apresentada como a irmã adotiva de Lex ao invés de sua irmã biológica, mas mais tarde foi revelada que ela é sua meia-irmã paterna. Esta é a segunda vez em que os dois irmãos parecem compartilhar apenas um dos pais, com o primeiro sendo Smallville. Em Smallville, porém, Lena nunca é adotada pelos Luthors (embora em uma realidade alternativa, Tess fosse mantida por Lionel Luthor, que a abusava).

Referências

  1. 1,0 1,1 "Trindade"
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 2,7 2,8 "As Aventuras da Supergirl"
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 "Luthors"
  4. 4,0 4,1 "Primeiro Anjo Caído"
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 "Medusa"
  6. 6,0 6,1 "Pelo Bem"
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 "Mulheres de Confiança"
  8. 8,0 8,1 "Sobreviventes"
  9. "Amanhecer Vermelho"
  10. "Crime e Castigo"
  11. 11,0 11,1 11,2 "Consequências"
  12. "Alex"
  13. 13,0 13,1 13,2 "Repórter Craque"
  14. 14,0 14,1 "Dos Dois Lados Agora"
  15. 15,0 15,1 "Bem-Vindo à Terra"
  16. 16,0 16,1 16,2 "Dano"
  17. 17,0 17,1 "Ó Irmão, Por Onde Andas?"
  18. 18,0 18,1 18,2 "Fogo Cruzado"
  19. 19,0 19,1 19,2 "Êxodo"
  20. 20,0 20,1 "Buscando Pela Paz"
  21. 21,0 21,1 "Evento Horizonte"
  22. "O Estranho ao Meu Lado"
  23. "Linhas Turfas"
  24. "À Plena Vista"
  25. "Ligações Perigosas"
  26. "Tremores"
  27. "A Ira de Rama Khan"
  28. "Crise nas Infinitas Terras: Parte Um"
  29. "Crise nas Infinitas Terras: Parte Três"
  30. "Crise nas Infinitas Terras: Parte Cinco"
  31. 31,0 31,1 31,2 "O Episódio da Garrafa"
  32. 32,0 32,1 "Deus Lex Machina"
  33. "De Volta do Futuro - Parte Um"
  34. "De Volta do Futuro - Parte Dois"
  35. "Tudo Está Colorido Hoje!"
  36. "Realidade Bytes"
  37. "A Segurança"
  38. "O Elo Perdido"
  39. "Combate Imortal"
  40. 40,0 40,1 40,2 40,3 40,4 40,5 40,6 "É uma Super Vida"
  41. "Acorde"
  42. 42,0 42,1 42,2 "Resista"
  43. "Schott Através do Coração"
  44. 44,0 44,1 44,2 "Em Busca do Tempo Perdido"
  45. 45,0 45,1 "Batalhas Perdidas e Vencidas"
  46. 46,0 46,1 "Não é o Kansas"
  47. "A Verdadeira Sra. Tessmacher Pode Se Levantar?"
  48. "Gatilhos"
  49. "Régia"
  50. "Os Fiéis"
  51. "Memória de Sangue"
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.