Arrowverso Wiki
Advertisement
Arrowverso Wiki
Para sua personalidade humana, veja Grace Parker.

"Eu sou morte, e eu escolho primeiro."
—Pestilência para Mon-El[fonte]

Pestilência (morta em 2018) foi uma destruidora de mundos kryptoniana. No século 31 de uma linha do tempo apagada, Pestilência se tornou conhecida como Blight. Como a Legião dos Super-Heróis e os Superamigos enfrentaram as Destruidoras de Mundos em 2018, a Pestilência acabou morrendo e nunca se tornou a Blight.

Junto de Régia e Pureza, Pestilência foi enviada à Terra durante a destruição de Krypton. Ao chegar em seu novo planeta, Pestilência foi criada sobre o nome "Grace Parker". Depois de muitos anos adormecida dentro de Parker, os poderes e a personalidade de Pestilência começaram a se manifestar. Porém, diferente de suas outras irmãs Destruidoras, Grace abraçou completamente sua alter-ego.

Biografia

Pré-Crise

Criação e enviada à Terra

Pestilência foi uma Destruidora de Mundos geneticamente modificada criada pelas Filhas de Juru, uma seita de Kryptonianos que idolatravam os Velhos Deuses (como Yuda Kal) em Krypton. Pestilência e suas irmãs, Régia e Pureza, foram criadas depois de décadas de pesquisas para limpar o planeta dos pecados e prepará-lo para seu renascimento e libertação.[1]

Em 1979, o dia da destruição de Krypton, Pestilência, que havia sido recém-criada, foi enviada à Terra para ser poupada da explosão do planeta. Ela iria despertar assim quando Régia estivesse pronta. Sua cápsula presumivelmente pousou na Terra em 1989, ao mesmo tempo que o de Régia.[2]

O lado humano de Pestilência se tornou conhecida como Grace Parker. Ela presumivelmente permaneceu dormente dentro de Grace por muitos anos.[3]

Espalhando a morte

Depois que Régia despertou, os poderes de Pestilência começaram a se manifestar. Com Grace abraçando facilmente sua personalidade alternativa, Pestilência começou a espalhar uma praga em National City, começando com a vida selvagem e a vegetação do planeta; rios de sangue se formaram no Ártico enquanto os pássaros começaram a cair mortos do céu. Com o aumento das baixas, os poderes de Pestilência aumentaram.[4]

Poucos dias depois, Grace começou a usar os poderes de Pestilência para prejudicar as pessoas, arranhando-as com garras infectadas, garantindo que a doença de Pestilência logo os mataria. Depois que a Prefeitura foi colocada em quarentena, Pestilência infectou Winn Schott e Alex Danvers enquanto o D.O.E. investigava a situação investigou a situação.

Pestilência conversando com Supergirl.

Pestilência então se infiltrou na Silvermine Health Insurance. Ao entrar em uma sala de conferências, ela repreendeu os líderes corporativos por lucrarem com o sofrimento de seus clientes, em vez de lhes fornecer os serviços necessários à empresa. Quando a Pestilência tentou matar o CEO da empresa com uma garra envenenada, Supergirl a impediu. A Destruidora se divertiu com o fato de a super-heroína querer salvar esses "vermes", mas a heroína argumentou que todos mereciam uma segunda chance, incluindo Grace. Acreditando que Pestilência estava controlando sua metade humana, Supergirl tentou ajudar Grace, apenas para descobrir que ela aceitava de bom grado os poderes de Pestilência após seu cinismo e rejeição da moralidade humana. Pestilência se proclamou um deus e atacou a Supergirl.

Pestilência e Pureza reunidas.

Depois de uma breve briga entre Pestilência, Mon-El e Imra Ardeen, a Destruidora foi jogada pela janela pela Supergirl. Saltando para o andar inferior, Pestilência zombou da Garota de Aço por acreditar que ela poderia ser redimida. Imra começou a jogar telepaticamente partes do prédio em Pestilência, mas a Destruidora facilmente se esquivou dos escombros e atacou Imra, e Mon-El a defendeu. Mon-El atacou Pestilência, forçando-a no ar, onde ela duelou com a Supergirl. A super-heroína eventualmente derrubou Pestilência no chão, mas a Destruidora tinha secretamente arranhado a garganta, rosto e mão de Supergirl várias vezes, infectando-a com uma alta dose de seu veneno. Pestilência triunfantemente assistiu quando a Garota de Aço imediatamente começou a sucumbir à sua doença, mas foi presa em uma bolha telepática por Imra, que então atirou uma lâmina em seu peito. Enfraquecida, Pestilência foi brevemente reprimida, mas sua morte foi interrompida com a chegada de sua irmã, Pureza, que a curou com sua conexão. Pureza rapidamente derrotou os heróis e as duas Destruidoras, encantadas com sua reunião, voaram para longe.

Pureza e Pestilência libertam Régia.

Pestilência e Pureza começaram a procurar por Régia em toda a cidade. Eventualmente, elas localizaram sua irmã em um laboratório secreto da L-Corp. Depois de destruir a instalação, Pestilência arrancou a sonda de Kryptonita de Régia, libertando sua irmã de suas amarras. Agora unidas, as três Destruidoras de Mundos congelaram seus inimigos no lugar com uma explosão de energia antes de escaparem juntas.[3]

Morte

Depois que a Supergirl e a Legião encontraram a Fortaleza das Destruidoras de Mundos, eles lutaram. As Destruidoras estavam vencendo e saindo-se sobre melhor dos heróis, mas a maré voltou-se contra elas depois que Pureza, controlada por sua forma humana, se voltou contra elas. Pestilência a matou, mas não antes de ser morta pela sua irmã. Depois da morte de ambas Destruidoras, Régia absorveu os poderes de ambas e fugiu do lugar, que estava em colapso.[5]

Futuro apagado

De acordo com Mon-El, a Pestilência evoluiu e se tornou a Blight no século 31, matando diversas pessoas na Terra e incontáveis outros planetas. A Legião dos Super-Heróis viajou ao presente para prevenir a evolução de Pestilência.

Esse futuro foi prevenido quando Pestilência foi morta por Julia Freeman em 2018, que havia recuperado o controle de seu corpo e mandou sua alter-ego para o vale sombrio.[5]

Pós-Crise

Na Terra-Prime, a vida e morte de Pestilência permaneceu o mesmo.[6]

Personalidade

"Você salvaria até esses vermes? Eles lucram com o sofrimento alheio."
"Todo mundo merece ser salvo."
"Eles não. Eles não são bons.
"
—Pestilência e Supergirl[fonte]

Ao contrário das outras Destruidoras de Mundos, Pestilência não tinha uma personalidade dividida, ela tinha duas pessoas vivendo dentro de um corpo, no entanto, elas apenas eram pessoas semelhantes.

Como uma civil, Grace dá uma demonstração externa de empatia, mas ela estava realmente gostando de machucar as pessoas. Depois que ela descobriu sobre Pestilência, ela ficou muito feliz e começou a infectar outras pessoas em sua forma humana. Parece ser possível porque as duas podem ter feito um acordo mental, no entanto, Grace também se mostra disposta a dar sua vida por seu alter-ego, Pestilência, já que a Destruidora afirmou que Grace desistiu de sua vida sem fazer barulho, permitindo-a assumir o controle total de seu corpo.

Poderes e habilidades

Poderes

"A Blight foi precedida de morte em massa na fauna local, e depois a flora e plantações apodreceram."
"Logo, vai se manifestar em pessoas."
"Em curto períodos de incubação. É 100% fatal e altamente contagiosa.
"
Mon-El e Imra Ardeen sobre os poderes de Pestilência[fonte]
  • Fisiologia Kryptoniana aprimorada com magia negra: A fisiologia de Pestilência foi alterada devido a experimentos de engenharia genética e magia negra conduzidos pelas Filhas de Juru. Normalmente, as habilidades de Pestilência não eram maiores do que do condicionamento físico de sua hospedeira, Grace Parker. No entanto, uma vez carregada pela energia de um sol amarelo e metabolizada em seu corpo, ela se tornou capaz de realizar uma variedade de façanhas sobrenaturais. Devido a seus aprimoramentos de magia negra, os poderes de Pestilência eram naturalmente maiores do que qualquer kryptoniano normal movido a energia solar, já que o sol não era a única fonte de seus poderes. Diz-se que ela e suas irmãs nasceram do fogo de Rao. É provável que Pestilência fosse tão poderosa, senão mais, quanto o Superman, já que ela estava na Terra por pelo menos 35 anos - o mesmo número de anos que Superman passou sob o sol amarelo da Terra - embora tivesse aumentado, muito mais poderes potentes; tornando Pestilência um dos seres mais poderosos de todo o multiverso.
    • Longevidade: De acordo com Mon-El, Pestilência estava destinada a se tornar e evoluir na "Blight" no século 31. É possível que ela não envelheceu fisicamente, e se o fez, foi em uma escala muito devagar.
    • Conexão com as Destruidoras de Mundos: Aparentemente, as Destruidoras de Mundos possuem uma conexão uma com as outras, na qual Régia é o ponto central. Isso é evidente quando Pestilência e Pureza permaneceram dormentes até o momento em que Régia despertou. Enquanto seguram suas mãos, as três são capazes de amplificar seus poderes.
    • Voo: Pestilência tem a habilidade de voar pelo ar a velocidades hiper-sônicas. Embora ela só tenha sido vista usando essa habilidade uma vez, está implícito que ela pode voar a velocidades tão rápidas quanto a Supergirl, como visto quando os dois super-seres duelaram no ar.
    • Super força: Pestilência demonstrou um alto nível de superforça, já que foi capaz de lutar com Supergirl e Mon-El ao mesmo tempo. Não se sabe se sua super força é tão poderosa quanto a de Régia, mas por suas demonstrações de super força, ela é provavelmente mais forte do que a Supergirl.
    • Invulnerabilidade: Pestilência foi capaz de receber vários socos de Mon-El e Supergirl e ainda ser capaz de revidar. Ela conseguiu levar um soco de Régia, que é considerada a Destruidora de Mundos mais forte entre suas irmãs.
    • Criação de pestilência: Pestilência pode espalhar algum tipo de vírus contagioso que pode matar qualquer coisa viva com a qual ela entre em contato, como visto quando dezenas de pombos caíram mortos do céu, quando as pessoas na prefeitura começaram a ter sangramento nasal antes do colapso uma planta morreu imediatamente ao ser tocada. De acordo com Mon-El, sua praga é "100% fatal".
    • Garras retráteis: Pestilência tem garras douradas salientes em cada dedo, afiadas e densas o suficiente para perfurar a pele invulnerável da Supergirl e, provavelmente, qualquer outro ser. Suas garras também podem induzir a pestilência quando ela deixa crescer as unhas em contato físico. Suas unhas são retráteis e podem voltar ao tamanho normal.
    • Evolução: Como Pestilência, Grace pode "evoluir" para formas mais poderosas e potentes de si mesma, incluindo se transformando em doenças e criando novas. Como mencionado no século 31, Grace evoluiu para uma forma conhecida mais poderosa de si mesma, Blight.

Habilidades

  • Combatente corpo-a-corpo experiente: Pestilência tinha habilidades em combate desarmado como visto quando lutava com a Supergirl, mas foi superada implicando que ela não era tão habilidosa quanto Régia ou Pureza, ambas as quais foram capazes de ganhar vantagem sobre a Supergirl. Ela foi capaz de derrotar Mon-El e Imra Ardeen.

Equipamento

  • Traje de Pestilência: Grace usou um traje protetor enquanto operava como a super-vilã Pestilência, sua alter-ego.

Equipamento de um futuro apagado

  • Traje de Blight: Grace usou um traje protetor enquanto operava como a super-vilã Blight em uma linha do tempo apagada no século 31.

Aparições

Supergirl

3ª Temporada

5ª Temporada


Curiosidades

  • Está implícito que as bruxas kryptonianas cometeram um erro ao criá-la, assim como está implícito que Blight foi uma evolução não intencional que se espalhou pelo universo no futuro.

Por de trás das câmeras

  • Os poderes de Pestilência (envenenamento e disseminação de vírus) foram retirados diretamente de Perrilus, uma das cinco Destruidoras de Mundos que a Supergirl enfrentou nas histórias em quadrinhos da DC Comics.
  • Também nos quadrinhos da DC Comics, Blight foi uma raça do século 30 que já lutou contra a Legião dos Super-Heróis. Eles são seres tecno-orgânicos compostos de tecnologia e carne podre, espalhando seu controle sobre o universo usando a tecnologia de portal estelar de Doda para se teletransportar para todos os lugares.

Referências